Follow by Email

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

CADE A POLÍCIA? 'CASO DE POLÍCIA QUE INVESTIGA POLÍCIA; VIRA CASO DE POLÍCIA'; ESTÁ ENVOLVIDO EM CRIMES"


Delegado é preso por comandar esquema de 'spa' em cadeia no Rio




Preso na manhã desta terça-feira no Rio de Janeiro, suspeito de coordenar um esquema de corrupção na Polinter, o chefe do Núcleo de Controle de Presos (Nucop), delegado Renato Soares Vieira, era responsável por todas as carceragens de Polícia Civil no Rio. O Ministério Público chegou até ele por meio de uma investigação na Polinter de Nova Friburgo, na região serrana, onde presos ligados a policiais coordenavam um esquema de regalias.
A carceragem foi fechada em outubro, segundo a Polícia Civil. Mas existe a suspeita de que o esquema funcionasse em outras prisões. O próprio delegado Renato já havia sido investigado por corrupção na Polinter de Nova Iguaçu, mas a acusação não teve prosseguimento.
Dezesseis pessoas foram denunciadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público por participação no esquema, das quais 11 foram presas nesta terça-feira, quatro já estavam detidas e uma está foragida.
O grupo, segundo o Gaeco, tinha o controle da transferência de presos entre as Polinters. Eles são suspeitos de coordenar o esquema executado por presos que cobravam por visitas e transferências. Todos serão indiciados nos crimes de formação de quadrilha, usurpação de função pública, prevaricação. Alguns dos envolvidos também serão acusados do crime de concussão (extorsão praticada por funcionário público no exercício da função).
Segundo a Secretaria de Segurança, os presos são, além do delegado, Antônio Carlos de Jesus Fernandes, Geraldo Gontijo Farias (ambos policiais), Lúcio Paulo Nunes Ribeiro, Francisco Guilherme Araújo de Azevedo (ambos estavam em liberdade condicional) e Tamires Santiago da Silva (funcionária terceirizada da Polícia Civil). Envolvidos que já estavam presos: Igor Filipek, Zuelandres Batista dos Santos Filho, Claudemir de Souza Ferreira, Luis Flávio Júnior, Eli Carneiro Machado, Marcelo de Nazareth e Ernani de Souza Gomes. Três policiais civis encontram-se foragidos: Luiz Cláudio Pereira, Antônio Carlos Ferreira e Argemiro Garcia Correa.
Outros policiais civis são suspeitos de participar do esquema fazendo vista grossa e até recebendo instruções dos próprios presos em Friburgo. Uma servidora, também presa, é suspeita de fazer a ligação entre presos e policiais. O policial civil Marcelo de Nazareth continua foragido.
Esquema de Nova Friburgo
Identificado como preso de "confiança" da carceragem da Polinter de Nova Friburgo, Lúcio Ribeiro, condenado por atentado violento ao pudor, costumava sair da cadeia para "passeios". Em uma das ligações interceptadas pelas investigações, o preso afirma que vivia uma vida de "spa" na prisão, e que costumava sair para comer lombinho canadense e bolinho de bacalhau e tomar chope regularmente.
"As pessoas passavam férias lá. Não era uma prisão", afirmou o promotor da Gaeco, responsável pelas investigações, Décio Alonso Gomes. Segundo ele, Lúcio comandava a quadrilha de presos que atuavam cobrando taxas de visitas íntimas para outros presos a R$ 10 por hora e transferências para outras prisões, que custavam entre R$ 1, 6 mil e R$ 3 mil.
Um dos integrantes da quadrilha, saiu da prisão em agosto para cometer um crime conhecido como saidinha de banco, caso investigado pela 14ª DP (Leblon). Ele também conduziria negócios fora da prisão e estaria negociando a abertura de uma franquia em um shopping de Niterói.
Terra
Cade a Polícia?
Como é que podemos confiar numa polícia corrupta como a que acabamos agora de ver esse delegado, policiais e ex-policiais envolvidos nas bandidagens, soltando presos para viver como cidadãos comuns, sem o mínimo de escrúpulos. Onde será que poderemos nos apoiarmos em caso de estupro, roubos, assassinatos, violência contra nós, raptos entre tantos outros crimes que esses tais chamados de policiais. Em quem realmente devemos confiar?
Caso de polícia que investiga polícia, vira caso de polícia!
Infelizmente, estamos numa situação que a própria polícia que instiga a polícia, já virou caso de polícia. Mas. cadê essa  polícia que tanto se procura, pois todos, digo, muitos estão se deixando levar pela ganância do dinheiro fácil e sujo, e com isso nos estamos sem a devida polícia para nos proteger. Pois se os próprios que investigam seus grupos de sujos, são os graduados, onde e em que devemos confiar.
Esse caso está mais parecido com o filme que está fazendo um grande sucesso; "Tropa de Elite II". Onde toda a polícia são corruptos, nem o secretário de segurança pública escapou de suas falcatruas, que fizeram de tudo para incriminá-lo, ao não conseguir, arranjaram um jeitinho carioca de exonerá-lo da secretaria!
Escrito por;



***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário