Follow by Email

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

"NO RIO GRANDE DO SUL 282 MUNICÍPIOS ESTÃO EM ESTADO DE EMERGÊNCIA"


N° de municípios em emergência pela seca no RS chega a 282
16 de janeiro de 2012  18h01


Chuva dos últimos dias foi insuficiente para algumas regiões. Foto: Wesley Santos/Futura Press
Chuva dos últimos dias foi insuficiente para algumas regiões
Foto: Wesley Santos/Futura Press
Mesmo com a chuva que atingiu diversas regiões do Rio Grande do Sul no último final de semana, o Estado ainda registra centenas de localidades em estado de emergência por causa da seca. De acordo com boletim divulgado nesta segunda-feira pela Defesa Civil, chegou a 282 o número de municípios nesta situação.
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê que a chuva deva continuar ao longo desta semana. De acordo com o Inmet, os próximos cinco dias serão parcialmente nublados com possibilidade de chuva em áreas isoladas no norte e serra do Estado. Nas demais regiões, deve haver também nevoa úmida e/ou névoa seca no decorrer do dia.
A Defesa Civil informou que chegou a 1.622.530 o total do número de afetados. Na semana passada, o secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo do Estado, Ivar Pavan, calculou em R$ 2 bilhões a perda causada pela estiagem nas lavouras de milho, soja e feijão, mas lembrou que o número não inclui os prejuízos no leite e hortifrutigranjeiros. "A seca afeta a economia do Estado como um todo, e não só a agricultura", afirmou Pavan.
A secretaria havia perfurado 120 poços, firmou convênios com prefeituras para mais de 700 microaçudes e convocou ao trabalho todos os funcionários da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RS) que estavam em férias, sendo que até sexta-feira haviam sido elaborados 6 mil laudos técnicos de propriedades atingidas. Também foram liberados R$ 7 milhões de recursos previstos na Consulta Popular.
Também na semana passada, o vice-governador, que estava no exercício do Executivo gaúcho, Beto Grill (PSB), assinou um decreto de emergência em todo o Estado devido à estiagem. O decreto de emergência coletivo pretendia agilizar a liberação de recursos para amenizar o prejuízo causado pela seca no Estado.

RS: governador anuncia pacote de R$ 12 milhões para combate à seca


Plantação em fazenda no município de Liberato Salzano sofreu as consequências da estiagem. Foto: Vagner Guarezi/Agência Freelancer/Especial para Terra
Plantação em fazenda no município de Liberato Salzano sofreu as consequências da estiagem
Foto: Vagner Guarezi/Agência Freelancer/Especial para Terra

O governo do Estado do Rio Grande do Sul anunciou na manhã deste sábado que investirá R$ 12 milhões no combate à estiagem. O pacote, divulgado pelo governador Tarso Genro (PT) no município de Joia, no noroeste do Estado, provém de duas secretarias e da Companhia Estadual de Abstencimento (Corsan). Tarso visitou a região acompanhado do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, do ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, e ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence.
A maior parte da verba foi liberada pela Secretaria de Obras, que destinará R$ 8,9 milhões para amenizar os estragos das estiagem, sendo R$ 3 milhões para a locação de máquinas, R$ 2,2 milhões para a rede de água e R$ 3,7 milhões para desassoreamento de açudes e construção de poços artesianos.
A Secretaria de Habitação e Saneamento liberou R$ 5 milhões para as redes de água e poços artesianos, que também serão reforçados com R$ 4 milhões vindos da Corsan.
A Secretaria de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo depositará na segunda-feira R$ 2,7 milhões para os municípios conveniados até dezembro abrirem 700 microaçudes. Outros R$ 4 milhões serão destinados a assentamentos, principalmente aos ligados à área leiteira.
Os recursos anunciados por Tarso complementam o pacote de R$ 18 milhões enviado pelo governo federal. Esse valor foi dividido entre os municípios em emergência por meio de um decreto de transferência de recursos, assinado pelo governador na manhã de hoje.
O ministro Bezerra comunicou que o Rio Grande do Sul será incluído no programa Água para Todos, criado para ajudar municípios do semiárido do nordeste. Florence anunciou que os agricultores que não contrataram seguro agrícola receberão milho de outros Estados e trigo do Rio Grande do Sul para alimentar os animais. Nas propriedade com seguro, as vistorias serão aceleradas.

Com previsão de chuva forte, região Sul deve ter seca amenizada


Estiagem motivou o governo gaúcho a decretar situação de emergência em todo o Estado. Foto: Diogo Zanatta/Futura Press
Estiagem motivou o governo gaúcho a decretar situação de emergência em todo o Estado
Foto: Diogo Zanatta/Futura Press
Os números da Defesa Civil do Rio Grande do Sul não deixam dúvidas a respeito da gravidade da seca que atinge o Estado: são 188 cidades em emergência e mais de 1 milhão de afetados. Em Santa Catarina, 73 municípios estão em emergência e mais de 450 mil pessoas sofrem os efeitos da estiagem. A expectativa é que, a partir da tarde desta quinta-feira, uma forte chuva amenize a situação na região Sul, de acordo com a Climatempo.
Nas próximas 48 horas, há risco de chuva forte, ventania e eventual queda de granizo. As condições de tempo severo, segundo a Climatempo, estão associadas ao deslocamento de uma frente fria. Como o ar está muito quente no Sul, haverá um forte impacto térmico com a chegada da frente fria.
Na sexta-feira e no sábado, o risco de temporais aumenta em Santa Catarina e no Paraná e diminui no Rio Grande do Sul. A chuva, além do alívio na sensação térmica, também será importante para diminuir as perdas econômicas dos produtores rurais. De acordo com um relatório divulgado pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, as perdas totais no campo em Santa Catarina devido à estigem já ultrapassam os R$ 400 milhões.
No Rio Grande do Sul, o governador em exercício, Beto Grill (PSB), assinou um decreto de emergência coletiva para todo o Estado para agilizar a liberação de recursos. O ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, anunciou também a liberação de R$ 18 milhões, a serem investidos na construção de açudes e cisternas, entre outras obras.
O secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo do Rio Grande do Sul, Ivar Pavan, calculou em R$ 2 bilhões a perda causada pela estiagem nas lavouras de milho, soja e feijão, mas lembrou que o número não inclui os prejuízos no leite e hortifrutigranjeiros. A secretaria já perfurou 120 poços, firmou convênios com prefeituras para mais de 700 microaçudes e convocou ao trabalho todos os funcionários da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RS) que estavam férias.
Medidas para longo prazo

Mendes Ribeiro disse ontem que anunciará até sexta-feira um pacote com medidas de efeito imediato e de longo prazo para o combate a eventuais próximas secas. O ministro adiantou que o plano deve incluir recursos para a perfuração de poços artesianos e construção de barragens, além da expansão do sistema de irrigação, para compensar a falta de chuvas. "Vai ser um pacote que vai tranquilizar o produtor", garantiu o ministro.
O governo de Santa Catarina vai pedir R$ 80 milhões ao governo federal para construção de mil açudes de médio e grande portes e de 1,3 mil poços artesianos em propriedades rurais do Estado. Na próxima segunda-feira, o secretário estadual da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, vai se reunir com Mendes Ribeiro para tratar das ações emergenciais nas regiões atingidas pela seca.
Incerteza do governo federal na quantidade dos atingidos com a chuva em Minas Gerais, essa incerteza não esta sendo diferente, no caso da seca do Rio Grande do Sul. É claro que contra a fúria da natureza não se ha defesa, mas, se pode haver previsão e com essa pode-se até amenizar o sofrimento das pessoas que mais sofrem com esses fenômenos. No entanto estamos vendo um governo totalmente desnorteado e desorientado com tais acontecimentos, que nos deixa sem acreditar em uma só atitude que eles tem tomado, ainda mais em se contando com os envolvimentos deles em escândalos dos últimos 12 meses e 16 dias. Ficamos tão espantados que estamos em procura de ver uma notícia na mídia de algo que tenham feito acertadamente, mas, não passa de esperanças levados pelas á
guas da desconfiança!







Postado por;











***FRANCIS DE MELLO***



Nenhum comentário:

Postar um comentário