Follow by Email

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

"CARTA DE UM POLICIAL TRAVESTIDO DE HERÓI, QUE MESMO SEM SER; MORRE COMO HERÓI"

Carta de um policial morto em serviço.



24 jan 2012 Em: Polícia Militar, ReflexãoAutor: Danillo Ferreira
24 Janeiro de 2012.




Alex Oliveira Suzarte era um policial militar do estado do Mato Grosso, casado, com três filhos. Após um assalto a uma lanchonete no município de Poconé-MT, em que dois suspeitos fugiram em uma moto, Alex e sua guarnição realizou uma perseguição aos criminosos, que acabaram caindo da motocicleta, e atiraram contra os policiais, acertando Alex no olho. Alex não resistiu, morreu no local.
Por si só, a história é trágica, lamentável, injustificável – como a morte de qualquer agente público que defende direitos expondo sua vida. Mas algo fez a morte de Alex se tornar ainda mais dolorosa e até épica: o soldado deixou uma carta-poema nas mãos de sua esposa dias antes de morrer em serviço. No final do texto, ele diz: “Esse texto eu dedico a todos os policiais que, como eu, só desejam voltar para casa vivos”. Leiam a íntegra…Enquanto todos dormem, eu estou em lugares inimagináveis, matagais intransponíveis, bueiros fétidos, casas abandonadas, entre outros lugares a que alguém normal se recusaria ir;Enquanto todos dormem, eu estou em alerta máximo, tentando não apenas defender pessoas que nunca vi, nem mesmo conheço, mas também tentando sobreviver;
Enquanto todos dormem no aconchego de suas casas debaixo dos cobertores, eu estou nas ruas debaixo da forte chuva, com frio e cansado madrugada adentro;Enquanto todos dormem, eu estou travestido de herói e mesmo não tendo superpoderes estou pronto para enfrentar o perigo, para desafiar a morte e, ‘quiçá, sobreviver’;
Enquanto todos dormem, eu estou dividido entre o medo da morte e a árdua missão de fazer segurança pública;Enquanto todos dormem, eu sonho acordado com um futuro melhor, com o devido respeito, com um justo salário, com dias de paz, mas principalmente com o momento de voltar para casa e de olhar minha esposa e meus filhos e dizer-lhes que foi difícil sobreviver a noite anterior, que foi cansativo e até frustrante, mas que estou de volta e que tenho por eles o maior amor do mundo.Esse texto eu dedico a todos os policiais que, como eu, só desejam voltar para casa vivos.
Alex Oliveira Suzarte
O pai de Alex, embora sofra com a perda, deu a seguinte declaração sobre o homem que matou seu filho: “Esse desalmado ainda não está preso. Eu não quero saber quem é, mas já o perdoei. Até porque a raiva não vai trazer meu filho de volta”.

Triste fim!





São muito as vezes em que vemos policiais tendo que enfrentar situações como a descrito no caso acima descrito por Alex. E, grande parte destas, não paremos para imaginar que ali está um pai de família tentando salvar a vida de desconhecidos como Alex menciona em seu testo escrito, não imaginemos também que estes não tem um salário digno como deveria ser, mas, infelizmente eles tem que estar ali, pois foi a profissão que escolhera para ganhar seu sustento, e ainda defender sua própria vida que naquele momento está praticamente sem valor nenhum, mas, eles não estão preocupados com isso, o que os preocupa mesmo é sairem realizados e com sucesso de todo trabalho realizado!




Esse é mais um triste fim de um herói que mesmo sem ser herói, é assim que o chamo de herói que combateu o bom combate; acabou a vida, mas, guardou sua fé.




Postado e escrito sub testo por;



















***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário