Follow by Email

domingo, 22 de janeiro de 2012

"AME-SE A SI MESMO ANTES DE AMAR QUEM QUER QUE SEJA"

Um jovem muito inteligente, bonito e encantador ao perder sua namorada que havia se encantado por outro rapaz, ficou desesperado, e estava prestes a acabar com sua própria vida.
Um velho mestre seu amigo, tendo ido à sua casa fazer uma visita e solicitar do jovem
Um pequeno favor, o encontrando neste estado, ficou preocupado e tentou ajudar.
Sentando-se perto do jovem o mestre, começou a mostrar-lhe várias coisas.
O velho mestre pediu ao jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo de água e bebesse. No que o rapaz obedeceu-lhe imediatamente.
- Qual é o gosto? - perguntou o Mestre.
- Ruim - disse o aprendiz.
O mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago. Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago.
Então o velho disse:
- Beba um pouco dessa água.
Enquanto a água escorria do queixo do jovem o mestre perguntou:
- Qual é o gosto?
- Bom! disse o rapaz.
- Você sente o gosto do sal? perguntou o Mestre.
- Não - disse o jovem.
O mestre então sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:
- A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos. Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta. É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu. Em outras palavras: É deixar de ser copo, para tornar-se um lago.
O tamanho da nossa dor depende do tamanho do amor que sentimos por nós mesmo.

Tire os olhos da sua dor! Ainda que a sua situação seja difícil, olhe para trás e você verá que existem pessoas sofrendo tanto ou até mais que você. Como Rute, elas também enfrentam a dor da perda, do fracasso, da vergonha e estão vivendo em profunda humilhação, dependendo apenas de Deus e do socorro das pessoas. Elas estão no mesmo campo de Boaz, onde você tem sido socorrido misericordiosamente. Talvez você já tenha reconhecido o seu Resgatador, Jesus Cristo, e tenha recebido o seu favor, tornando-se herdeiro desta colheita. Ele tem abençoado a sua vida poderosamente e lançado sementes de sonhos em seu coração. Você está de pé e isso é pura graça de Deus. Mas observe que enquanto você celebra a sua recompensa com uma grande colheita, milhares de órfãos, viúvas e estrangeiros estão padecendo, respigando após os ceifeiros. Da mesma forma como o amor de “Boaz” alcançou a sua alma ferida e transformou o seu pranto em regozijo, você deve se tornar um remidor para os seus irmãos. Afinal, desde o momento em que você recebeu a Cristo, não é você quem vive, mas Cristo que vive em você (Gl 2.20). Permita, portanto, que o caráter misericordioso do Senhor se manifeste através da sua vida e abençoe a vida daqueles que estão ao seu redor. “Dai-lhes vós de comer”, disse Jesus (Lc 9.13). No sermão da montanha, Jesus disse aos seus discípulos: “Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia” (Mt 5.7). Poderíamos citar diversos textos bíblicos onde o Espírito Santo nos adverte a dar ouvidos ao clamor do pobre e do necessitado. Salomão disse que “quem tapa o seu ouvido ao clamor do pobre, também clamará e não será ouvido” (Pv 21.13). Estenda as suas mãos para os necessitados e a destra do Senhor a todos suprirá!
1º A FALTA DE AMOR PRÓPRIO: Para empenhar-se pela paz com outros, devemos primeiro estar em paz conosco. Jesus Cristo disse: “Tens de amar o teu próximo COMO A TÍ MESMO.” (Mateus 22:39) Para amar o próximo, TEM QUE AMAR A SÍ MESMO! Não por ser perfeito, mas reconhecer que não é. Saber de suas falhas, erros, culpas e procurar obter o perdão por elas, estando determinado A AGIR MELHOR e, desta forma, livra-se dos sentimentos de culpa. Jesus disse que: “É da abundância de nosso coração que falamos e agimos”. (Leia Mat. 12:34, 35) Se nosso coração estiver repleto de culpas, mágoas e recriminações, estes sentimentos negativos se projetarão desamorosamente em outros. A fim de amar o próximo, é preciso nutrir algum sentimento de valor próprio, de respeito por si mesmo, e ter paz de espírito a ponto de poder aceitar-se. Ao amar a si próprio deste modo, não sentirá nenhuma perturbação íntima que estrague seu relacionamento com outros. 2º O SENSO CRÍTICO: A crítica é invariavelmente fútil: fere o orgulho e suscita ressentimento. A crítica é encarada como ataque e coloca as pessoas na defensiva: elas procuram justificar-se e retaliar. Lembre-se: as pessoas são, com freqüência, MAIS EMOTIVAS do que lógicas, em especial quando atacadas, e é assim que encaram a crítica. Em vez de condenar, PROCURE ENTENDER. Sobre isso a Bíblia aconselha: “...tentai reajustar tal homem NUM ESPÍRITO DE BRANDURA, ao passo que CADA UM OLHA PARA SÍ MESMO...” (Gál. 6:1) Veja os pontos bons, em vez das falhas. A Bíblia diz: A “glória [do homem] consiste em passar por cima da ofensa”. (Prov. 19:11) Por isso, o termo grego para essa espécie de amor que Jesus mandou demonstrar para com o próximo é chamado a•gá•pe. O apóstolo Paulo fornece uma das qualidades desse tipo de amor [a•gá•pe,] na qual se empenha pela paz com o próximo, ou seja, o amor: “...Suporta todas as coisas, acredita todas as coisas, espera todas as coisas, persevera em todas as coisas. O AMOR NUNCA FALHA.” (1Cor. 13:4-8)
O amor lança fora o medo! A nossa fé é capaz de retratar que ela espera, por isso também é capaz de identificar a benção de Deus quando ela se manifesta. Segundo a Bíblia, a fé enxerga o invisível e é capaz de criar retratos mentais daquilo que esperamos segundo a promessa de Deus. Contudo, o medo, que é o principal inimigo da fé, também é uma força criativa capaz de criar retratos mentais e de trazer à existência aquilo que tememos. Normalmente, isso acontece porque verbalizamos estes medos falando daquilo que tememos. Deus criou os mundos através de Sua Palavra, e nós, através de nossas palavras, criamos o mundo onde vivemos. Quando o medo toma conta de nossas mentes, falamos daquilo que cremos negativamente e a Bíblia diz que “a morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto” (Pv 18.21). Salomão foi um homem adiante do seu tempo e com sabedoria divina ele escreveu a respeito da influência que os nossos pensamentos têm sobre as nossas vidas. Ele disse: “Porque, como ele pensa consigo mesmo, assim é” (Pv 23.7). Ou seja, se abrirmos as nossas mentes para o medo e acolhermos as suas idéias mentirosas, nossas mentes se encherão de engano e as nossas vidas serão afetadas por esse domínio mental. Jó disse: “Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu” (Jó 3.25). Sendo assim, decida a partir de agora que tipo de pensamento você acolherá ou rejeitará em sua mente. “Porque Deus não nos deu o espírito de temor [medo], mas de fortaleza, de amor e de moderação” (2Tm 1.7). Confronte o espírito de engano que o aflige e expulse-o no nome de Jesus. “No amor não há medo, antes o perfeito amor lança fora o medo” (1Jo 4.18).
Descubra o seu verdadeiro tesouro! Embora ele esteja oculto aos olhos humanos, está revelado na Palavra de Deus para todos aqueles que O desejarem. O seu nome é Jesus e Nele está a fonte de toda sabedoria que você precisa para viver abundantemente (Jo 10.10). Salomão reconhecia este tesouro, por isso escreveu: “Feliz é o homem que acha sabedoria e o homem que adquire entendimento; pois melhor é o lucro que ela dá do que o lucro da prata, e a sua renda do que o ouro. Mais preciosa é do que as jóias e nada do que possas desejar é comparável a ela” (Pv 3.13-15). Salomão refere-se à sabedoria como árvore da vida e nós sabemos que ela é uma figura profética de Cristo. Se você deseja conhecê-lo, leia a Palavra de Deus. Você descobrirá que as promessas divinas são eternos tesouros cuja descoberta proporciona uma grande alegria. Jesus disse que “o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido no campo, que um homem, ao descobrí-lo, esconde; então, movido de gozo, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo” (Mt 13.44). Aquele homem não poderia levar o tesouro para casa, pois isso seria um roubo, contudo, estava disposto a abrir mão de tudo o que possuía a fim de adquirí-lo. Com grande alegria, ele vendeu todos os seus bens e comprou aquele campo a fim de obter o tesouro escondido. A descoberta custou-lhe tudo o que tinha, porém, pareceu-lhe um sacrifício pequeno diante da grande recompensa. Da mesma forma, alguns sacrifícios em curto prazo serão necessários para que alcancemos a recompensa vindoura. Seja sábio! Ainda que lhe custe tudo, abra mão daquilo que você possui para obter aquilo que não pode perder: a sua salvação. Não seja insensato como o jovem rico que preferiu perdê-la a abrir mão de suas riquezas. Tal qual o rei Davi, declare: .“Regozijo-me com a tua palavra, como quem acha grande despojo” (Sl 119.162).












Escrito Por;






















***FRANCIS DE MELLO***

Um comentário:

  1. Quando Deus entra no comando de nossa vida, não só sabemos nos amar mais como também aprendemos a compartilharmos esse amor ao próximo! Mas a vida, ou os trancos que ela nos dá, tem nos ensinado a entendermos melhor essa questão humanitária do amor!

    ResponderExcluir