Follow by Email

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

"SENADOR ROLLEMBERG E SUAS DEMAGOGIAS, QUANTO AO MINISTRO"


Planalto não desconfia de Fernando 

Bezerra, diz secretário do PSB

Agência Brasil
Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) diz que Fernando Bezerra está tranquilo para depor no Congresso
Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) diz que Fernando Bezerra está "tranquilo" para depor no Congresso

O Secretário-especial do PSB, senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), saiu em defesa do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, ao dizer que seu partido está "absolutamente confiante" em todas as atuações do correligionário. Mais do que isso, o senador mostrou que o PSB está seguro no apoio que o governo tem dado ao ministro.
"Desde o primeiro momento, a presidenta Dilma tem se mostrado satisfeita com o trabalho de Fernando Bezerra. Em nenhum momento houve desconfiança do Palácio do Planalto em relação ao ministro", explicou a Terra Magazine.
Na segunda-feira (9), a presidente conversou pessoalmente - e a sós - por cerca de trinta minutos com Bezerra. O objetivo era ouvir as explicações sobre as denúncias que estampam o noticiário desde a última semana.
O ministro é acusado de beneficiar seu estado, Pernambuco, no repasse de verbas para obras contra enchentes. Além disso, está sob acusações de nepotismo, ao empregar seu irmão na presidência da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba).
Ao falar pelo PSB, o senador Rollemberg diz que o partido está "tranquilo" quanto à atuação do ministro frente à pasta e também quanto ao emprego de Clementino Coelho na Codevasf. "O irmão de Bezerra já estava na presidência da Codevasf quando ele assumiu o ministério", explica Rollemberg. E completa: "Bezerra repassou apenas 10% do que havia sido combinado entre a presidente e o governador Eduardo Campos para o estado de Pernambuco. Todos agiram corretamente", diz o senador.
Depoimento no Congresso
Bezerra diz estar à disposição para ir ao Congresso prestar esclarecimento sobre as denúncias. O depoimento do ministro está previsto para acontecer nesta quinta-feira (12). A oposição, no entanto, não concorda que ele enfrente os parlamentares agora, durante o recesso, pois a comissão representativa que o receberá é formada, principalmente, pela base governista.
Nesta terça-feira (10), o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), líder do DEM no Senado, pede investigação de Bezerra à Procuradoria-Geral da República. O presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN), defende que o ministro vá ao Congresso somente em fevereiro, quando as atividades parlamentares serão retomadas.
"Todos os partidos têm questionamentos quanto ao caso. Isso não pode ser tratado agora, na comissão temporária, e não pode ser dado como assunto encerrado", justificou Maia.
Como pode um senador garantir que não houve tendencia beneficiário ao estado do ministro, quando todos os dados demonstram exatamente o contrário do que estão tentando fazer a população acreditar!


Escrito por;






***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário