Follow by Email

domingo, 15 de janeiro de 2012

"A JUSTIÇA FOI JUSTA À PROFESSORA NA ESPANHA "


Espanha: professora ganha batalha judicial contra Igreja e Estado








O despedimento da professora, só por esta se ter 
casado com um homem divorciado, foi um atentado aos direitos humanos, diz o tribunal espanhol.
O Supremo Tribunal da Andaluzia deu razão, ao fim de 11 anos, à professora de religião moral que tinha sido despedida de um colégio público de Almeria por ter casado com um homem divorciado. O tribunal condenou o Estado a devolver a Ressurrección Galera o posto de trabalho e a indemnizá-la em 200 mil euros.
A sentença veio provar que o facto de a professora ter casado com um divorciado nunca pos em causa o exercício da atividade profissional e que o seu despedimento, em 2001, foi um atentado aos direitos fundamentais. A professora Ressurreción Galera, de 35 anos, já ensinava religião moral há sete anos quando se viu impedida de continuar pela Igreja que, em Espanha, é quem seleciona os professores de Religião e Moral.
Foi uma fonte anónima que alertou a Igreja para o facto de a professora tinha casado com Johannes Romes, um alemão divorciado, antigo assessor de imprensa do Parlamento alemão.
Para a igreja, o comportamento da professora na sua vida pessoal ia contra os valores da religião e, por isso, não era a pessoa mais indicada para dar aulas. Ressurreción Galera foi assim para o desemprego.
Após 11 anos, o tribunal veio dar razão à professora. Atualmente o casal gere um hotel em Almeria, mas a sentença fez com que Ressurreción Galera desejasse voltar às salas de aula. 


Postado por;







***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário