Follow by Email

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

"DILMA E ALCKMIN ASSINAM PARCERIAS DE 8.04 BILHÕES EM CASAS POPULARES PARA SÃO PAULO"


'Parceiros estratégicos', Dilma e Alckmin trocam elogios em SP.
12 de janeiro de 2012  13h22  atualizado às 13h37


Em seu discurso, Dilma Rousseff (PT) elogiou a parceria com o governo de São Paulo e o governador Geraldo Alckmin (PSDB). Foto: Mauro Horita/Terra
Em seu discurso, Dilma Rousseff (PT) elogiou a parceria com o governo de São Paulo e o governador Geraldo Alckmin (PSDB)
Foto: Mauro Horita/Terra


O encontro entre a presidente da República, Dilma Rousseff (PT), e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), para a assinatura de um termo de cooperação para a construção de 97 mil casas populares no Estado foi marcado pela troca de elogios mútuos, tratado por ambos como "parceria estratégica". A presidente disse ainda que está em estudo aumentar de 2 milhões para 2,4 milhões de unidades a meta do Minha Casa, Minha Vida 2, a partir do ano que vem. O prazo para a assinatura dos contratos vai até 2014, último ano do mandato de Dilma.
Em seu discurso, ela foi clara no tratamento que diz pretender dar ao Estado de São Paulo durante o seu mandato. "Aqui em São Paulo temos feito parcerias muito efetivas com o governador Geraldo Alckmin. Quero dizer que eu quero continuar esse processo. É impossível um governante achar que governa sem os governadores e prefeitos. A maturidade é essa relação que conseguimos estabelecer. Nós podemos ter nossas divergências eleitorais, mas acabou a eleição, elas deixam de existir", afirmou Dilma.
Mais adiante, a presidente disse que não se faz, não se tem e não se pode ter, dentro de políticas governamentais, atritos com Estados e municípios. "Essa é a grande virtude do decoro governamental", afirmou. Um pouco antes, Alckmin agradeceu a parceria. "Não é todo dia que se assina um convênio de R$ 8 bilhões. Serão 97 mil casas e apartamentos para quem ganha até R$ 1,6 mil. Estamos juntos para trabalhar com a população", disse, referindo-se à atuação junto ao governo federal.
Termo de cooperação

Dilma e Alckmin assinaram nesta quinta-feira um termo de cooperação para a construção de 97 mil casas populares no Estado de São Paulo. As moradias serão para famílias com rendimento mensal de até R$ 1,6 mil e o atendimento prioritário para moradores de favelas, mananciais, áreas de risco e rurais.
Do investimento de R$ 8,04 bilhões, um montante de R$ 6,145 bilhões serão do governo federal. Estima-se a criação de 340 mil empregos, entre diretos e indiretos. Os recursos do governo do Estado serão de até R$ 20 mil por unidade habitacional, a título de fundo perdido. Essa contrapartida estadual vai elevar de R$ 65 mil - custo máximo da unidade no programa federal - para R$ 85 mil.
A prioridade será para as regiões metropolitanas de São Paulo, Baixada Santista, Campinas, Vale do Paraíba e Litoral Norte, em um total de 106 cidades. Juntas, elas respondem por 70% do déficit habitacional do Estado.

Postado por;







***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário