Follow by Email

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

"O CHURRASCÃO DA CRACOLÂNDIA POR INTERNAUTAS"


Internautas organizam 

"churrascão da gente diferenciada" 

na Cracolândia



O "churrascão da gente diferenciada", mobilização bem-humorada na web que ganhou ruas de Higienópolis, na capital paulista, em maio do ano passado, deve ter uma segunda edição. Desta vez, internautas organizam a "versão Cracolândia", uma forma de protestar contra a ocupação iniciada pela Polícia Militar no Centro de São Paulo na semana passada.
Para divulgar a manifestação, foi criada uma página na rede social Facebook, convocando os usuários. Até por volta das 17 horas desta terça-feira (10), 360 pessoas - entre 5.719 convidados - haviam confirmado presença. O "churrascão" foi agendado para o próximo sábado (14), às 16h, na Rua Helvétia com Dino Bueno.
Confira o protesto:
Churrascão diferenciado versão Luz: porque na "Cracolândia" todo mundo é gente como a gente.
Neste sábado, venha mostrar para o governo que sua polícia não é bem-vinda em nossas ruas.
Sem oferecer alternativas decentes aos dependentes e sem respeitar os direitos humanos deles e dos outros usuários, trabalhadores e freqüentadores da região da Luz, o governo paulista vem ocupando militarmente, desde o dia 3 de janeiro, a zona conhecida como "Cracolândia".
Higienismo, preconceito, segregação, violência, intolerância, tortura, abuso de autoridade e mesmo suspeitas de assassinato passaram a ser ainda mais constantes nos dias e principalmente nas madrugadas do bairro.
Luiz Alberto Chaves de Oliveira, coordenador de Políticas sobre Drogas do governo, defendeu que a operação teria como objetivo trazer "dor e sofrimento" para os dependentes, forçando-os a buscar tratamento. Fica claro, no entanto, que os seres humanos que ali freqüentam ou vivem são a última preocupação de nossos governantes, que sabem muito bem que questões de saúde nunca poderão ser resolvidas por uma das polícias mais assassinas do mundo.
O objetivo da dor e do sofrimento é meramente expulsar aquelas pessoas dali para que o projeto da "Nova Luz", que prevê demolição de um terço das construções da região e reconstrução do espaço com vistas ao lucro da especulação imobiliária, possa ser implementado.
Em reação a isso, dezenas de coletivos, grupos e entidades organizaram para este sábado mais um "churrascão diferenciado", tipo de mobilização que ficou marcada na cidade como forma de combater, de forma bem humorada e crítica, o preconceito e o racismo dos políticos e das elites paulistanas. Traga seus instrumentos, cartazes, ideias, alimentos e o que mais achar necessário para tornar agradável este sábado de protesto e diálogo em defesa de políticas corretas, respeitosas e abrangentes em relação à população de rua (ou em situação de rua) e aos usuários e dependentes de drogas.
Primeira versão
A primeira versão do "churrascão da gente diferenciada" surgiu a partir de uma brincadeira nas redes sociais, motivada pela indignação de internautas após a reação contrária de moradores de Higienópolis à construção de uma estação de metrô na avenida Angélica, que corta o bairro, um dos mais valorizados da capital paulista. Diante da pressão, o governo de São Paulo, alegando razões técnicas, anunciou na época a mudança de local da estação.
O termo "gente diferenciada" foi adotado como ironia à declaração de uma moradora do bairro, que, em entrevista à Folha de S.Paulo, usou a expressão para se referir às pessoas que "ficam ao redor das estações do metrô".



Postado por;





***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário