Follow by Email

domingo, 15 de janeiro de 2012

"COMISSÁRIO DO CRUZEIRO ESCORREGOU, QUEBROU A PERNA DE FICOU PRESO EM BUSCA DE OUTROS"

Comissário ficou preso ao tentar salvar passageiros, diz mãe
15 de janeiro de 2012  12h27  atualizado às 12h38


Helicóptero resgatam Manrico Giampetroni, o diretor do serviço de cabine do navio Costa Concordia. Foto: AP
Helicóptero resgatam Manrico Giampetroni, o diretor do serviço de cabine do navio Costa Concordia
Foto: AP
A mãe de Manrico Giempietroni, terceiro sobrevivente resgatado após o naufrágio do navio Costa Concordia na sexta-feira, em Giglio, na Itália, afirmou que o filho ajudou muitas pessoas a embarcar nos botes salva-vidas antes de ficar preso. "Era meia-noite e ele resolveu procurar mais passageiros nas cabines. Mas escorregou, quebrou a perna e ficou preso", disse Giovanna Lazzarini, 78 anos, em tom de desabafo. As informações são do jornal italiano la Repubblica.
Em entrevista, ela revelou a conversa que teve com o filho por telefone, durante alguns minutos, depois que ele foi resgatado em um helicóptero nas primeiras horas deste domingo. Giempietroni, o diretor do serviço de cabine do navio Costa Concordia, foi encontrado em uma área alagada, em uma parte do navio com dificuldade de acesso. Os resgatistas seguiram os ruídos feitos por ele no interior do navio.
A notícia de que o filho tinha sobrevivido chegou aos ouvidos de dona Giovanna na manhã deste domingo. "Assim que soube, eu chorei. Meu filho é muito atencioso, sempre me mantém informada. Rezei todos os dias e todas as noites no sofá da sala", desabafou. A senhora vive em Amelia, na província de La Spezia, mesma cidade do filho. Segundo ela, entrar em contato com Manrico, mesmo que por poucos minutos, lhe devolveu a alegria à vida, apesar dele contar que estava ferido. "Falar com Manrico foi nascer de novo. Se ele tivesse morrido, eu morreria também", afirmou ao periódico.
Manrico Giempietroni se une ao casal de recém-casados coreanos que foi resgatado com vida na noite passada do interior do navio, 24 horas depois do acidente. Hye Jim Jeong e Kideok Han, ambos com 29 anos, foram localizados no interior da cabine que ocupavam, no oitavo andar. O casal, em viagem de núpcias, tinham subido ao navio no porto de Civitavecchia, a 70 km ao norte de Roma, poucas horas antes do naufrágio. Até o momento, ao menos três pessoas morreram e 17 pessoas ainda estão desaparecidas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário