Follow by Email

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Às vésperas de ocupação, Nem determina toque de recolher na Rocinha e diz que enfrentará Bope

08Nem


Às vésperas da ocupação das favelas da Rocinha e do Vidigal, em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro, o chefe do tráfico dessas comunidades Antônio Francisco Bomfim Lopes, o Nem, prometeu enfrentar policiais do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) que ocuparão a região no próximo domingo (13). A partir da quinta-feira (10), agentes da Polícia Civil devem começar a mapear o território, com policiais à paisana e helicópteros.
Traficante Nem busca atendimento em UPA da Rocinha após misturar álcool e drogas.
Durante uma festa na Rocinha, no domingo passado (6), o traficante teria subido ao palco e, chorando, anunciou que reagiria à ação das forças de segurança do Estado. Ele também determinou toque de recolher a partir das 22h de quinta-feira (10). Segundo as ordens do traficante, comerciantes devem fechar suas portas e, após o horário, moradores não podem mais circular pelas ruas.

Apesar do anúncio de Nem à comunidade, policiais da Secretaria de Segurança e de delegacias da região dizem acreditar que a ocupação será tranquila, sem que traficantes ofereçam resistência. As informações foram reveladas ao R7 por fontes da cúpula da segurança do Rio.

Embora a ação nas duas comunidades esteja marcada para domingo, policiais militares e civis, inclusive agentes à paisana, começam a cercar a região na quinta-feira, conforme antecipado pelo R7 nesta terça-feira (8).

Mansão do Nem
O objetivo das Forças de Segurança do Estado é fazer um cinturão de segurança. Os policiais tentarão prender bandidos em fuga e colher informações no entorno das duas comunidades para identificar locais onde estariam escondidas armas e drogas.

Enquanto os policiais procuram avançar por terra, helicópteros, inclusive com equipamentos de visão noturna, farão o último mapeamento antes da tomada pela PM. Além de identificar obstáculos colocados pelo tráfico para impedir a entrada da polícia, o levantamento também pretende rastrear possíveis rotas de fuga e a localização de casas usadas pela cúpula do tráfico, inclusive uma mansão que pertenceria a Nem.

Ainda não está completamente descartada a participação do Exército na ocupação, a exemplo do que aconteceu nos complexos de favelas do Alemão e da Penha, há um ano. Entretanto, segundo o Comando Militar do Leste, ainda não houve nenhuma solicitação por parte do governo do Estado para que os militares participem da operação.
Fonte terra:

Existe algo errado que ao meu ver, a polícia e autoridades estão fazendo, é o anúncio de ocupações à determinado local. Com esse tipo de atitude, os marginais vão retira todo seu arsenal de guerra, para outros lugares, é certo que o aviso, pode ser para que a população inocente não sejam pegos de surpresa, mas, há de se haver um meio disso ser evitado, sem no entanto estarem divulgado essa ocupação por meio de comunicações diversos. É claro que irão entender como uma declaração de guerra, e como visto eles estão preparados para o que der e vier. Irão enfrentar a polícia de igual para igual, sem contar as transferências de armas e drogas para outro área segura. Mas, a inteligência da polícia deve estar sabendo o que fazer, apenas estou expressando  minha opinião, que não deve ser visto por estes, mas, se por golpe do acaso, venham ler isso? Fica aí algo para se pensarem para o futuro!

Escrito por;

***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário