Follow by Email

terça-feira, 22 de novembro de 2011

"LUPI TEIMA EM FICAR NO MINISTÉRIO DO TRABALHO"

Lupi diz que reunião do PDT não vai discutir sua saída do ministério
22 de novembro de 2011  12h19


O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, negou nesta terça-feira que a reunião da executiva do seu partido, o PDT, tenha como tema a sua saída do ministério. De acordo com Lupi, "não há possibilidade" de deixar o ministério. "A melhor resposta quando a gente se sente injustiçado é continuar trabalhando."
Na noite desta terça, a executiva do PDT irá se reunir. A expectativa é de que seja discutida a situação do ministro diante das denúncias de corrupção em sua pasta. O próprio Lupi confirmou que as denúncias serão tratadas nessa reunião. "É um debate que o partido tem de fazer sobre os fatos", afirmou. Essa é a segunda reunião da executiva do partido desde que as denúncias foram divulgadas há cerca de três semanas.
O deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) disse que essa será uma "reunião para unificar o discurso" do partido.
As denúncias divulgadas na imprensa apontam a existência de um esquema de cobranças de propinas que envolvem ONGs que mantêm contratos com o ministério e pessoas do alto escalão da pasta, ligadas ao ministro. Lupi também é acusado de usar uma aeronave pertencente a Adair Meira, diretor de uma das ONGs que tem contrato com o ministério, durante viagem de eventos ligados a sua pasta.

Em reunião com o PDT na próxima terça-feira, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, tentará obter apoio do partido para continuar à frente do cargo. Há mais de 15 dias são divulgadas denúncias envolvendo seu nome e de assessores ligados a ele, colocando mais um ministro do governo Dilma Rousseff na berlinda. Só este ano, seis titulares foram demitidos pela presidente, sendo cinco por denúncias de corrupção. Lupi e a executiva nacional do partido se reunirão na sede do PDT em Brasília, às 19h.
Desde que surgiram as primeiras denúncias, Lupi foi alvo dentro do próprio partido. Parlamentares do PDT defenderam que o Ministério Público instaurasse um inquérito para apurar as acusações. Outros deputados chegaram a pedir que o ministro se afastasse do cargo para responder às denúncias. Lupi, no entanto, se segura no cargo e só deve sair na reforma ministerial que a presidente vai promover no início do ano que vem.
Nas últimas duas semanas, Lupi compareceu a audiências na Câmara e no Senado para explicar as denúncias. Na Câmara, o ministro negou conhecer Adair Meira, diretor de duas organizações não-governamentais (ONGs) que mantêm contratos de R$ 14 milhões com a pasta. Lupi também afirmou que não pegou carona em avião providenciado por Meira. A versão do ministro foi desmentida no fim de semana seguinte, quando foram divulgadas imagens dele desembarcando do avião ao lado do diretor.
Na semana seguinte, no Senado, Lupi culpou a memória e disse que não tinha relações "pessoais" com Adair Meira. Na ocasião, a senadora Kátia Abreu (PSD-TO) formalizou um pedido de informações ao ministro sobre os convênios do ministério com a ONG Pró-Cerrado, dirigida por Meira. O requerimento deve ser respondido por Lupi amanhã. Durante a oitiva no Senado, parlamentares do PDT voltaram a defender que o ministro se afastasse do cargo.
Esse Lupi, é realmente o cara certo para o trabalho, vai dar trabalho assim lá nas Ilhas das Malvinas. aff...


Escrito por;



***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário