Follow by Email

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

"RIBEIROS DE SABEDORIAS"

Deus irá honrar as palavras Dele em sua boca! Por isso, fale positivamente da sua fé, não dos temores e receios do seu coração. Uma fé negativa pode ser liberada através de palavras mal faladas, sem a sabedoria de Deus. “A boca fala do que está cheio o coração” (Lc. 6.45). Use de sabedoria para falar. Nisto você verá a diferença! “Como águas profundas é o propósito no coração do homem” (Pv.20.5). Palavras doces e tranqüilas produzem refrigério, restauração e vida por onde passam. Mas como uma enchente avassaladora, elas podem destruir e arruinar com o seu veneno e amargor. “Águas profundas são as palavras da boca do homem; e a fonte da sabedoria é um ribeiro que corre” (Pv.18.4). 
Enquanto Salomão comparou as palavras com as águas, Jesus Cristo comparou-as com sementes na parábola do semeador. Ele disse: “O que semeia, semeia a palavra” (Mc.4.14). Elas podem ser selecionadas e plantadas com sabedoria para a vitória ou lançadas, impensadamente, liberando destruição. Jó foi um exemplo de paciência na tribulação, mas houve um momento em sua vida em que ele não cuidou de suas palavras. “Falei do que não entendia” (Jó 42.3). O medo da perda deu legalidade para o inimigo agir e foi grande a sua tormenta. “Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu” (Jó 3.25). As palavras que falamos podem ser negativas ou positivas, dependendo do tipo de fé que desenvolvemos em nossos corações. A visão distorcida do caráter de Deus gerou em Jó uma fé negativa, e ele acreditava que Deus havia tomado dele tudo o que ele possuía. Mas Deus restaurou a vida de Jó, dando-lhe uma nova visão e a restauração. Profetizamos a sua vida que “dirás, pois, naquele dia: Graças te dou, ó Senhor; porque tu me confortaste” (Is.12.1).

Temos aprendido a profetizar em terra seca e a acreditar no poder da graça e da misericórdia de Deus. Ela nos capacita a viver os sonhos de Deus. O deserto faz parte da rota de treinamento e foi Deus quem fez o programa. Não tente fugir da rota divina, mas dedique-se em aprender o que o Senhor está ensinando neste tempo de solidão e silêncio. Jó sentiu o que você está sentindo e desabafou: “Ah, se eu soubesse onde encontrá-lo, e pudesse chegar ao seu tribunal! Exporia ante ele a minha causa, e encheria a minha boca de argumentos. Saberia as palavras com que ele me responderia, e entenderia o que me dissesse” (Jó 23.3-5). Não desanime. Este pode ser um período de profundo tratamento. Desprovidos de qualquer recurso ou segurança nos tornamos mais receptivos e sensíveis ao que Deus está realizando. Não permita que a escola divina endureça o seu coração a ponto de prolongar a sua jornada além do necessário. O povo de Israel fez isso. O que poderia ter sido uma breve viagem, tornou-se uma caminhada para a vida inteira. Eles permaneceram andando em círculos, porque não souberam aproveitar o momento de Deus e as oportunidades que Ele estava criando para ensiná-los a viver no sobrenatural. Havia um caminho aberto por Deus rumo à Terra prometida, mas eles não o conheceram, até que foram guiados pela arca do Senhor. “Para que saibais o caminho pelo qual haveis de ir, porquanto por este caminho nunca dantes passastes” disse o Senhor a Josué (Js.3.4). Saiba que o Anjo do Senhor está acampado ao seu redor, disponível para guiar os seus passos até a terra dos seus sonhos. Assim diz o Senhor: “Eis que eu envio um anjo adiante de ti, para guardar-te pelo caminho, e conduzir-te ao lugar que te tenho preparado” (Ex.23.20).


Escrito por;




***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário