Follow by Email

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

"JOVENS ADEREM A MOVIMENTO QUE PREGA VIRGINDADE ATÉ CASAMENTO"

Em MS, jovens aderem a movimento que prega virgindade até o casamento!

Lucas e Carolina esperaram até o casamento para ter primeira relação.
Em Mato Grosso do Sul um grupo de jovens de uma igreja evangélica adotou a castidade como princípio de vida. Eles fazem parte do movimento nacional 'Eu Escolhi Esperar', que prega aos adeptos a pureza sexual até o casamento.
Carolina Dolzan, de 21 anos, e Lucas Dolzan, de 22 anos, que se casaram em julho deste ano após cinco anos de namoro são adeptos do movimento. Eles contam que durante todo o período em que estiveram juntos até antes do casamento, não tiveram relação sexual.
“Decidi me preservar, me resguardar para a pessoa certa. Quando o conheci, soube que era essa pessoa e a medida que o tempo foi passando e nós conhecemos melhor, essa certeza só foi aumentando”, comenta Carolina.
Segundo o pastor Nelson Júnior, da organização não-governamental Mobilizando o Brasil (MOB), que está em Campo Grande neste fim de semana para divulgar o movimento 'Eu Escolhi Esperar', a pureza sexual tem um significado muito mais amplo do que simplesmente a virgindade.
“Ser puro sexualmente não significa que a pessoa tem que ser virgem. As vezes a pessoa já teve uma relação, que provocou mágoa e sofrimento e depois decide se manter casta até encontrar a pessoa certa. Isso provoca uma mudança na vida dessa pessoa. A vida é feita de escolhas. Hoje somos nós que escolhemos, amanhã somos escolhidos”, comenta.
Nelson Júnior diz ainda que uma das grandes ferramentas de disseminação do conteúdo do movimento tem sido a internet e que o assunto é um dos mais comentados em uma das principais redes sociais em Campo Grande.
A psicóloga Alessandra Rios, diz que atualmente os jovens tem acesso muito fácil, através dos meios de comunicação, a informações sobre sexualidade, mas não têm maturidade suficiente para administrar todo esse conteúdo.
Ela destaca ainda a importância dos país nesse aspecto. “Se os pais não tem parâmetros para repassar aos filhos, podem até atrapalhar nas escolhas deles”, completa.
A primeira palestra sobre o assunto realizada na noite de sexta-feira em Campo Grande reuniu mais de mil jovens na sede da igreja evangélica.

Notícias Cristãs com informações do G1
Esse tipo de atitude é louvável, deveria ser apoiado não só por um pequeno grupo, e sim por todo o segmento da sociedade, que alias grande parte, grande mesmo, senão a maioria, não estão nem aí para o que acontece em volta do mundo e de si próprios, exceto com sua família, que alias, é impossível que aconteça, com os demais tudo pode acontecer, menos com eles. Daí não veem necessidade em estar se preocupando com os acontecimentos em volta do mundo ou no mundo. Haja visto se o inesperado ou o impossível vier acontecer em sua família, daí então eles se lastimam, choram, esperneiam, condenam, partem para a mídia, alias, esta, se dispões a eles pois lhes rende ibope. Agora quando lemos uma notícia tão importante quanto essa, apenas é noticiado por um site na internet, quando no muito por algum jornal local.
Mas, hoje vemos uma grande maioria da juventude se perdendo em seus desejos espúrios, esquecendo do matrimônio, como uma instituição sagrado, tem se deixado levar por seu egoísmo mais e mais. Há até que diga que se não rolar o sexo, não há casamento, daí quando esse sexo é aceito por meninas na esperança de se ter um casamento bem sucedido, acabam se dando mau, porque depois de uns poucos meses de casamento, quando realmente se casam, abam ficando sozinhas, e grande parte com filhos para cuidarem sem a ajuda dos pilantras.
Ainda algo pior tem acontecido, com essa de que o sexo ha de se rolar antes, que é os resultados fracassados, pois muitos desses tem tido fantasias diabólicas e que acabam deturpando a realidade do matrimônio, vindo exigir algo totalmente fora do real, assim acabam por um dos lados saírem feridos, ofendidos e machucado, o que tem levado grande parte deles a escolherem pessoas do mesmo sexo para um relacionamento a dois, acabando assim por desaparecer o entusiasmo para o casamento.
Algo que tem levado-os para essa escolha desatinado, é a libertinagens que muitas meninas tem se deixado levar, andando com vestes que mais são convites pornográficos, de que vestes. No entanto a rapaziada já está tão acostumado a isso que ao se casarem preferem a pornografia livre que a então esposa. Existe ainda a internet, que libera a pornografia sem nenhuma restrição que os tais não tem mais o chamado desejo sexual por estarem viciados em sexo explicito, exposto na internet, que acabam por se tornarem vítimas da falta do verdadeiro desejo a um sexo conjugalmente falando, ou seja, preferem o razoável que a realidade.


Escrito por;




***FRANCIS DE MELLO*** 

Nenhum comentário:

Postar um comentário