Follow by Email

domingo, 20 de maio de 2012

"THOR BATISTA; FINALMENTE JUSTIÇA FEITA COM JUSTIÇA PARA PUNIR INFRATOR RICO"




MP denuncia Thor por morte de ciclista e pede suspensão de CNH.















Thor nega alta velocidade em acidente. Foto: Reprodução
Thor nega alta velocidade em acidente
Foto: Reprodução







O Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou nesta quarta-feira o empresário Thor Batista pelo homicídio culposo (quando não há intenção de matar) do ciclista Wanderson Pereira do Santos, atropelado na rodovia Washington Luís, na Baixada Fluminense, em 17 de março. O MP pediu também a suspensão imediata da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de Thor, que é filho do empresário Eike Batista.
Thor foi indiciado na última sexta-feira. Segundo laudo pericial, ele dirigia a pelo menos 135 km/h quando atropelou Wanderson, sendo que o limite da rodovia no trecho é de 110 km/h.
Para concluir o inquérito e indiciar Thor, o delegado Mário Roberto Arruda, da 61ª DP (Xerém) considerou o depoimento de testemunhas que afirmaram que Thor dirigia seu Mercedes-Benz SLR McLaren em zigue-zague antes da colisão, tendo inclusive ultrapassado pela direita um ônibus e um carro, o que é proibido. Wanderson foi atingido na pista da rodovia. O Instituto Médico Legal (IML) apontou que o ciclista havia ingerido bebida alcoólica antes do acidente: foi detectada concentração de 15,5 dg/l (decigramas por litro) de álcool no sangue da vítima.
A perícia listou seis indicadores que atestariam a velocidade mínima de 135 km/h da Mercedes no momento do atropelamento: a violência com que o pé da vítima foi amputado pelo impacto; a grande distância percorrida pelo corpo após a colisão; o carro ter parado alguns metros à frente da vítima; a bicicleta ter sido encontrada quase em frente ao corpo da vítima, mas no lado oposto da pista; os dados técnicos do veículo; e "a aplicação das leis físicas oriundas da mecânica newtoniana".
A denúncia, assinada pelo promotor Marcus Edoardo de Sá Earp Siqueira, da 6ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal de Duque de Caxias, destaca que Thor agiu com imprudência ao dirigir em velocidade incompatível para o local. O MP informou que a suspensão da CNH do denunciado foi pedida com base em informações do Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ), que registra 11 infrações no documento de Thor, sendo nove por excesso de velocidade.
A defesa do empresário, liderada pelo ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, questiona a velocidade do veículo estipulada pela perícia. Ao Terra, na sexta-feira, Bastos disse que o indiciamento era uma "ficção científica". O advogado não foi localizado para falar sobre a denúncia.
No início do mês, uma Ferrari de Thor foi apreendida em uma blitz do Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ) sem a placa dianteira. No pátio do Detran, foi encontrada outra irregularidade: o carro circulava com uma placa traseira do Rio, mas a propriedade do veículo havia sido transferida para uma empresa de São Paulo no dia 25 de abril. Segundo o Detran, o proprietário não recebeu multa porque o problema não foi flagrado no momento da apreensão - o sistema de informática do órgão estava fora do ar para manutenção e impediu que a irregularidade fosse verificada.










***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário