Follow by Email

quarta-feira, 9 de maio de 2012

"SÍLVIO SANTOS; O MAIOR APRESENTADOR DE TELEVISÃO BRASILEIRO E SUA HISTÓRIA E RETÓRICA!"






  • Divulgação/SBT
    Silvio Santos no palco de seu programa no SBT
  • Divulgação/SBT
    Silvio em ação em sua atração no SBT
  • AFP/Getty Images
    O apresentador em retrato de 30 de agosto de 2001
  • Roberto Nemanis/SBT
    No dia 8 de abril de 2012, Silvio Santos recebe no palco a modelo Letícia Wiermann 
  • Reprodução Twitter
    Silvio entre os cabeleireiros Jassa e Robson, em  2012













Divulgação/SBT

Divulgação/SBT
Silvio Santos no palco de seu programa no SBT





A trajetória de Silvio Santos se confunde com a história da televisão no Brasil. Nascido em 12 de dezembro de 1930, no Rio de Janeiro, o apresentador e dono do SBT teve a carreira impulsionada pela combinação entre o talento de comunicador e o afinado tino empresarial que fez dele um dos homens mais ricos do País.
Batizado pelos pais, Alberto e Rebecca, como Senor Abravanel, ele demonstrou a vocação para os negócios ainda na adolescência. Aos 15 anos, começou a trabalhar como camelô nas ruas do Rio, vendendo capas para títulos de eleitor e canetas. Na época, aprendeu a fazer performances com moedas e baralhos para atrair a clientela.
As apresentações de Silvio nas ruas chamaram a atenção de um fiscal da prefeitura, que o indicou para um concurso de locutores em uma rádio. Aprovado, começou a trabalhar na emissora, mas logo deixou o emprego para se dedicar ao seu projeto de implantar um sistema de som com músicas e anúncios na barca de que ligava o Rio a Niterói. Ele passou a ganhar a vida vendendo espaços publicitários nos alto-falantes da embarcação.
Aos 20 anos, foi para São Paulo, onde também fez teste em uma rádio e foi aprovado. Na época, já usava o nome artístico Silvio Santos. Em 1954, assinou o primeiro contrato como locutor da Rádio Nacional, na capital paulista. O trabalho na rádio chamou atenção do apresentador Manoel da Nóbrega, que convidou Silvio para atuar como animador de seus programa e para administrar a sua empresa, o Baú da Felicidade, que vendia baús de presentes de Natal à prestação e passava por problemas de gestão. Silvio fez da companhia um negócio rentável, que passaria a ser seu. Nóbrega deu a empresa de presente para Silvio.
O comando do Baú da Felicidade foi o embrião da escalada do sucesso de Silvio Santos. A partir do final dos anos 1950, ele investiu em ações de promoção do Baú e, em 1961, iniciou sua carreira na TV com o programa “Vamos Brincar de Forca”, na TV Paulista. Em seguida, começou a apresentar um programa dominical no mesmo canal e atrações da TV Tupi  para ajudar na divulgação do Baú.
Em 1975, passou a ser dono de emissora de televisão ao vencer uma concorrência para operar o canal 11 no Rio de Janeiro. A TVS entrou no ar em 14 de maio de 1976. Na época, também adquiriu 50% da Rede Record, que também passou a transmitir seus programas em São Paulo. A TVS virou SBT em 1981, quando a empresa recebeu mais quatro concessões de televisão.
A emissora se consolidou como uma das  grandes forças da televisão brasileira e reforçou a figura de Silvio como uma estrela nacional. No canal, comandou o dominical “Programa Silvio Santos”, com atrações como o “Qual é a Música”, “Topa Tudo por Dinheiro”,  “Roletrando” e “Porta da Esperança”. Em 1999, lançou o “Show do Milhão” e, em 2001, a “Casa dos Artistas”, um reality show nos moldes do “Big Brother” que contava apenas com a participação de famosos.
Conhecido de norte a sul, também se candidatou à presidência da República em 1989 pelo Partido Municipalista Brasileiro. Chegou a fazer campanha, mas problemas no registro da sigla impediram a sua participação no pleito.
O sucesso de Silvio na televisão também o ajudou a catapultar as operações do Baú de Felicidade e a criar uma série de outras empresas hoje abrigadas no Grupo Silvio Santos. Com mais de 11 mil funcionários,  a companhia controla organizações como a Liderança Capitalização (que detém a marca Tele Sena), a Jequiti Cosméticos, a construtora Sisan e o hotel Sofitel Jequitimar, entre outras.
A trajetória de empreendedor, entretanto, teve seu pior momento em 2010, com a descoberta de uma rombo bilionário no Banco Panamericano, uma das principais organizações do conglomerado empresarial do apresentador. Para que a instituição não quebrasse, o Grupo Silvio Santos teve de fazer expressivo aporte de R$ 2,5 bilhões. Os recursos foram obtidos por meio de empréstimo que teve o patrimônio de Silvio Santos como garantia. Em 2011, Silvio vendeu o controle do banco para o BTG Pactual .
Pai de seis filhas, Silvio casou-se pela primeira fez em 1962, com Cidinha, com quem teve as filhas Cintia e Silvia. O casamento durou até abril de 1977, quando um câncer tirou a vida da mulher do empresário.
Silvio voltou a se casar em 1981, com Íris Abravanel, uma funcionária do Baú da Felicidade. O casal tem quatro filhas: Daniela, Patrícia, Rebeca e Renata. Patrícia foi personagem de um dos episódios mais marcantes da vida de Silvio Santos. Em agosto de 2001, ela foi vítima de um sequestro que durou sete dias. Após libertar a filha, o sequestrador invadiu a casa do empresário, mantendo-o como refém por sete horas até se entregar à polícia.












***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário