Follow by Email

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

"RUSSOMANNO PRÉ-CANDIDATO A PREFEITO DE SÃO PAULO, DIZ ESTAR EMPATADO TECNICAMENTE COM O TUCANO SERRA"


Russomanno: entrada de Serra na eleição de SP 'não muda nada'




Russomanno aproveitou para alfinetar o tucano, ao afirmar que a eleição de São Paulo não deve ser palanque para outras campanhas. Foto: Fernando Borges/Terra
Russomanno aproveitou para "alfinetar" o tucano, ao afirmar que a eleição de São Paulo não deve ser "palanque" para outras campanhas
Foto: Fernando Borges/Terra




O ex-deputado federal e pré-candidato pelo PRB, Celso Russomanno, minimizou o peso da entrada do ex-governador José Serra (PSDB) na disputa pela prefeitura de São Paulo, em entrevista concedida na tarde desta terça-feira no estúdio do Terra na capital paulista.
"(A entrada do Serra na disputa) Não muda nada. As pesquisas vinham sendo feitas com a inclusão dele na campanha. E eu tenho empate técnico com ele nas pesquisas. Vou continuar trabalhando nas ruas, mostrando minhas intenções, e quero que ele tenha uma campanha muito feliz também", afirmou.
Russomanno aproveitou, porém, para "alfinetar" o tucano, ao afirmar que a eleição de São Paulo não deve ser "palanque" para outras campanhas. Embora não tenha citado o nome de Serra, os adversários do tucano costumam lembrar que ele deixou a prefeitura para disputar o governo do Estado mesmo após ter firmado um compromisso de que não deixaria a administração municipal.
"(O eleitor deve analisar) Se quem vai ser candidato vai ser prefeito por quatro anos? Essa é a questão. (...) Agora, o que acontece em São Paulo é que se usa a eleição pelo tamanho da eleição, é a terceira maior do País, (...) então se usa essa eleição para palanque eleitoral para governo de São Paulo ou para a Presidência", disse.
Russomanno também negou, mais uma vez, que o ex-prefeito Paulo Maluf (PP) tenha sido seu "padrinho político" - eles eram do mesmo partido até o ano passado - e lembrou as diferenças que teve com o pepista.
"Nunca foi meu padrinho político. Nunca foi. Eu sempre disputei voto com o Paulo Maluf, eu nunca precisei dele para me eleger, eu precisei da população de São Paulo", afirmou. "Sempre tentei a conciliação, não consegui. É só pesquisar quantas vezes nós tivemos atritos, e grandes atritos. Então não tenho padrinho político chamado de Paulo Maluf."
O pré-candidato afirmou ainda que o seu diferencial será a fiscalização de serviços públicos, citando como alguns dos maiores desafios da cidade a melhoria do transporte coletivo e do atendimento na área da saúde. "Vou ser o primeiro prefeito do País que vai ter uma secretaria para fiscalizar os serviços públicos", prometeu.
Ele afirmou, entretanto, que não abadonará a TV, mesmo se eleito prefeito - atualmente, o ex-deputado tem um programa na Rede Record. "Vou ficar até quando a lei permite, vou ficar até a convenção. E mesmo sendo eleito prefeito, eu volto para a televisão, porque é o que eu gosto de fazer. (...) Adoro andar pelas ruas, adoro fiscalizar, e vou fazer, três vezes por semana vou fiscalizar, sem avisar o horário. (...) Prefeito que só fica no gabinete não é prefeito", disse.
Questionado sobre o peso que dará à religião em sua campanha - ele é católico, enquanto o PRB é ligado à Igreja Universal do Reino de Deus -, Russomanno se definiu como "ecumênico" e lembrou que o partido tem 80% dos adeptos ligados a outras religiões que não a Universal, destacando que respeitará a diversidade religiosa.






TERRA.

Vejo mais essa eleição de Russomanno como um meio de fazer dos demais candidatos a trabalharem mais sérios em suas campanhas políticas, mas, o fato de ele dizer que os números de pesquisas estão empatado com o Tucano José Serra, é pura  balela, contudo não podemos menospreza-lo numa disputa eleitoral como essa, já que Russomanno tem um programa de TV na Record o que lhe dará a força de que precisa, embora já seja conhecido o suficiente para tal!  



Por;








***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário