Follow by Email

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

"ATO DE TER UMA ADORAÇÃO DE OBEDIÊNCIA E RETIDÃO EM NOSSA VIDA"


Toque a harpa da adoração no lugar secreto da sua intimidade com Deus. Você precisa crescer em intimidade e comunhão com Ele. Para isso, aproprie-se do poder do decreto apostólico que está sobre a sua vida. Use-o a seu favor e contra os seus inimigos. Antes de ser conhecido como herói entre o povo, Davi tornou-se conhecido de Deus no campo das ovelhas. Na solidão com o Senhor, ele cresceu em intimidade e força. Ele deu este testemunho para o rei Saul: “O Senhor me livrou das garras do leão, e das do urso; ele me livrará da mão deste filisteu. Então disse Saul a Davi: Vai, e o Senhor seja contigo” (1Sm 17.37). Observe o crescimento e o progresso espiritual de Davi. Ele não estava impressionado com o tamanho do gigante porque os seus olhos estavam apenas em Deus. Como não havia ninguém mais para impressionar, o jovem pastor ocupou o seu tempo em ministrar a Deus e tornou-se um verdadeiro adorador. Mas foi a sua experiência no campo das ovelhas que o preparou para o campo de batalha. Da mesma forma, cremos que se você obedecer a voz do Espírito Santo e consagrar a sua vida para Deus, suas raízes crescerão para baixo e os seus frutos se manifestarão para cima. Nossas raízes espirituais são semelhantes ao alicerce de um edifício. Embora seja invisível, é ele que manterá a obra de pé e lhe dará sustento para crescer para o alto. Este é o ano do crescimento e do amadurecimento, portanto, invista no seu relacionamento com o Senhor. Você não pode dizer que está seguindo a Jesus Cristo parado no mesmo lugar onde um dia você o conheceu e o recebeu como Salvador. Ele quer ser, de fato, Senhor de sua vida. “A intimidade do Senhor é para aqueles que o temem; aos quais ele dará a conhecer a sua aliança” (Sl 25.14). O Senhor não nos desamparará! Ele é a nossa proteção, o nosso galardão e recompensa. Leia o capítulo três de Zacarias e você perceberá que ele é repleto de símbolos e elementos proféticos. Entretanto, nós podemos identificá-los com as nossas próprias vidas e com as batalhas que enfrentamos no nosso dia-a-dia. O acusador trabalha de dia e de noite com o intuito de nos separar de Deus e de Sua graça bendita. Ele não descansará até que seja derrubado definitivamente (Ap 12.10). Nesta visão de Zacarias ele está ao lado do sacerdote Josué acusando-o juntamente com todo o povo de Deus. O Senhor o repreendeu severamente e ordenou aos que estavam diante dele que trocassem as suas roupas sujas por vestes limpas e colocassem uma mitra limpa sobre a sua cabeça. Ele foi purificado, vestido e coroado. O anjo do Senhor levantou a sua voz e fez promessas para a vida de seu servo, atrelando-as à obediência e à retidão. Da mesma forma, somos desafiados a andar em obediência diante Dele para sermos honrados pelo Senhor e guardados dos ataques do maligno. Porque no “Altíssimo fizeste a tua habitação. Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda” (Sl 91.9,10). Aleluia! Ele colocou uma pedra cravada em nossas vidas e lares, por isso o inimigo não nos atingirá. Ele disse: “Pois eis aqui a pedra que pus diante de Josué; sobre esta pedra única estão sete olhos” (Zc 3.9). Estes sete olhos representam a perfeição Daquele que tem os sete espíritos de Deus, ou seja, Jesus Cristo (Ap 3.1). Ele é a pedra angular, eleita e preciosa e mantêm perfeita vigilância e cuidado sobre nós e nossas famílias. O salmista profetizou: “O Senhor te guardará de todo o mal; guardará a tua alma, guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre” (Sl 121.7,8). Apresente a Deus os frutos de uma vida transformada! Dê a Ele o lugar de honra em seu coração e aprenda a lidar sabiamente com as posses materiais. As riquezas concorrem com o senhorio de Cristo em nossas vidas, por isso precisamos ser sábios para lidar com o dinheiro. Lucas conta que uma grande multidão se reuniu para ouvir a pregação de João Batista e ele confrontou o pecado dos homens exigindo deles uma transformação de vida genuína. Perguntaram-lhe: “Que faremos, pois? Respondia-lhes então: Aquele que tem duas túnicas reparta com o que não tem nenhuma e aquele que tem alimentos, faça o mesmo. Não cobreis além daquilo que vos foi prescrito. A ninguém queirais extorquir coisa alguma; nem deis denúncia falsa; e contentai-vos com o vosso salário” (Lc 3.11,13,14). Observe que as perguntas do povo estavam relacionadas ao desejo que eles tinham de viver uma vida espiritual, mas as respostas de João apontavam para os bens materiais. Ele simplesmente não podia falar de espiritualidade sem confrontar o apego deles com as posses financeiras, porque a maneira como lidamos com as posses afetam diretamente a nossa vida espiritual. O dinheiro não é benção nem maldição. Isso dependerá do lugar que ele ocupará em nossas vidas. Enquanto esteve na terra Jesus Cristo falou mais de dinheiro do que do céu e do inferno. Pelo menos quinze por cento de tudo o que Ele disse estava relacionado à maneira como devemos lidar com as posses financeiras. Isso determinará se somos sábios ou tolos. Existem pessoas que se preocupam muito mais em ganhar dinheiro do que em crescer espiritualmente. A estes o Senhor diz: “Insensato! Esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus” (Lc 12.20,21).

PENSE NISSO!




***FRANCIS DE MELLO***

Um comentário: