Follow by Email

sábado, 18 de fevereiro de 2012

o Tribunal de Justiça proibir o ato e estabelecer multa diária de R$ 100 mil aos sindicatos



Policiais do PR dizem que decisão de 

proibir greve é "equivocada"







Representantes dos policiais civis do Paraná criticaram hoje, em entrevista à imprensa, a decisão judicial que proibiu a categoria de entrar em greve no Estado. Para eles, a greve é um direito protegido por lei.
A categoria suspendeu a greve após o Tribunal de Justiça proibir o ato e estabelecer multa diária de R$ 100 mil aos sindicatos da categoria em caso de descumprimento.
"O Tribunal de Justiça criou um estado de exceção para os policiais civis; subtraiu um direito constitucional da categoria", afirmou o advogado do Sinclapol (Sindicato das Classes Policiais Civis do Paraná), Milton Miró Vernalha Filho.
A categoria reivindica um salário inicial de R$ 5.750 (hoje, o valor é de R$ 2.700). O governador Beto Richa (PSDB) oferece R$ 3.400 de piso, com previsão de aumento para R$ 4.500 em 2014.
Na decisão de ontem, o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, Miguel Kfouri Neto, disse que a greve dos policiais, às vésperas do Carnaval, seria "paredista", "ilegal" e colocaria em risco a ordem e segurança públicas.
"O risco à segurança pública é o que toda a classe policial está denunciando", rebateu Vernalha Filho. "Há delegados no Estado respondendo por três, quatro, até cinco comarcas. Tem delegacias que têm só um policial civil. [A questão] não é só o salário."
O advogado afirmou que os policiais irão cumprir a determinação da Justiça, apesar de a considerarem "equivocada". A decisão de ontem estabeleceu multa de R$ 100 mil por dia em caso de descumprimento.
O sindicato da categoria ainda pretende recorrer da decisão. Por enquanto, porém, a greve está suspensa.
O governo do Estado prometeu apresentar nova proposta salarial aos policiais até a próxima sexta-feira (24).


Fonte: A Folha!




Os policiais no geral agora querem por toda força de suas intenções, descompatibilizar a segurança do estado e nação, com suas paralisação desleais e ilegal, o que já foi discutido por diversos vezes sobre o constitucionalidade desse tipo de greve. Agora os PMs do Estado do Paraná, querem fazer o mesmo que fizeram os da Bahia, contudo, estes querem ganhar um salário que entendo justo, porém sem nenhuma qualificação para que o estado consiga dar um valor como este assim de aumento de uma só vez, tendo em vista que o aumento chega próximo dos 130%, e não há a mínima condição disso acontecer, exceto se o estado estiver com os cofres explodindo em sobra de verbas. 
Na realidade essa é mais uma greve política, que dessa vez o PT quer dar o troco do que houve na Bahia, uma vez que a greve lá também foi de ordem política! Na verdade, os políticos não sabem fazer outra coisa que não seja estar sempre do lado contra, seja ele quem for, desde que a sardinha seja puxado para seu lado, tudo está de acordo com sua postura!






Escrito por;










***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário