Follow by Email

quarta-feira, 14 de março de 2012

"MICHEL TELÓ PODERÁ SER PROIBIDO DE CANTAR O SUCESSO 'AI SE EU TE PEGO'; DE ACORDO COM A VEJA"

Medida pode ser tomada em consequência de um processo judicial contra a autora Sharon Acioly.








Michel Teló
Divulgação



















Um novo processo judicial contra a compositora do refrão de "Ai Se Eu Te Pego", Sharon Acioly, pode impedir o cantor Michel Teló de interpretar a música ao redor do mundo. O processo vem das estudantes Amanda Borba Cavalcanti de Queiroga, Marcella Quinho Ramalho e Maria Eduarda Lucena dos Santos, que se dizem as verdadeiras coautoras da música, cujo refrão é atribuído a Sharon e o restante ao músico Antônio Dyggs. As informações são da revista Veja.
"Ai Se Eu Te Pego" surgiu em uma viagem das meninas para a Disney em 2006, segundo o advogado Miguel de Farias Cascudo. Ao se interessar por um dos guias da excursão, uma delas criou uma música que dizia "ai, se eu te pego". O "delícia", também incluso no refrão, veio de uma música do grupo Parangolé.
“Nas filmagens da viagem, as jovens aparecem cantando e fazendo a coreografia hoje reproduzida por Teló. Anexamos o vídeo ao processo”, disse Cascudo. "Sharon não criou nada. Não existe uma única vírgula, um único ponto que ela tenha criado."
O acordo fechado entre Teló e Sharon para a reprodução de "Ai Se Eu Te Pego" perderá a validade, caso a justiça se posicione a favor das estudantes. No momento, o ordenado pela 3ª Vara Cível de João Pessoa é que Teló, Sharon e Dyggs façam um depósito dos lucros obtidos com a música até o momento.
Há um mês, uma nota publicada pela assessoria de Sharon dizia que o processo entre ela e outras estudantes, que também diziam ser coautoras da música, já estava resolvido. No entanto, Sharon dizia não haver fundamento no caso atual. “Quanto às estudantes paraibanas Marcella Quinho Ramalho, Amanda Borba Cavalcanti de Queiroga e Maria Eduarda Lucena dos Santos, que vieram recentemente a público para reivindicar suposta participação na autoria e divulgaram uma alegada disputa incoerente, esclarece-se que a mesma não é reconhecida pelos verdadeiros compositores e coautores da obra”, escreveu a assessoria da compositora.

A Culpa É Dela



Compositora de “Ai Se Eu Te Pego”, Sharon Acioly explica como construir um hit.



A Culpa É Dela
divulgação

























Começou como uma brincadeira de palco. No mesmo esquema da ‘Dança do Quadrado’, né?”, conta Sharon Acioly, uma das autoras do mega-hit “Ai Se Eu Te Pego”, do fenómeno Michel Teló. “A princípio, era um funk. Mas aí o Antônio Diggs soube da brincadeira e me falou: ‘Sharon, eu fiz essa música de forró pra minha banda’. E daí eu curti e a gente fez essa parceria.”
Sem se considerar uma compositora no sentido estrito da palavra, Sharon culpa o acaso como responsável pelo seu sucesso nas duas ocasiões em que ele bateu à porta. No entanto, ela defende de forma sagaz seu trabalho de “críticas” como as do tecladista Bruno Medina, do Los Hermanos. “Uma pessoa que tem um sucesso em que canta ‘ô, Anna Julia!’ pode falar o que de qualquer outra composição, pelo amor de Deus?”, dispara. “Se você for traduzir o que é MPB, então ‘Anna Julia’ é e funk também é.” Para finalizar, Sharon já diz que tem outro possível hit na manga, depois de “Ai Se Eu Te Pego”: “É ‘A Dança do Tchu Tchu’. Se cair no gosto da molecadinha, vai virar outro sucesso!”, promete.
Coautoras
Semanas depois desta entrevista, três estudantes reivindicaram a autoria do refrão de "Ai Se Eu Te Pego". Em acordo extrajudicial, Sharon as reconheceu como coautoras da música.

Compositora de "Ai Se Eu Te Pego" reconhece coautoras da música.


Sharon Acioly vai incluir o nome de três estudantes paraibanas nos créditos de composição

Sharon Acioly, uma das compositoras do hit "Ai Se Eu Te Pego", do cantor Michel Teló, assinou um acordo extra judicial com as estudantes Karina Vinagre, Aline Fonseca e Amanda Cruz, que durante a última semana reivindicaram a autoria do refrão da música. Os detalhes não foram revelados.
O refrão que originou a música foi criado pelas jovens em 2006, durante uma viagem à Disney. Cerca de dois anos depois, as amigas participaram como dançarinas de um show de Sharon, cantando no palco o refrão. Ela compôs a música e a registrou como de sua autoria e do músico Antonio Dyggs.
Em nota divulgada por sua assessoria de imprensa e em seu Facebook oficial na última sexta, 4, Sharon reiterou nunca ter omitido que a música surgiu de brincadeiras com as estudantes, e que por este motivo manteve-se em contato com elas para a definição de questões legais. "As conversas sobre participação na composição foram definidas recentemente, sendo então finalizada a negociação autoral entre os seus compositores e a editora responsável, estando tais questões contratuais resguardadas pela confidencialidade que é padrão no mercado", informou o comunicado.
Apesar de a questão estar aparentemente resolvida, há ainda mais três mulheres afirmando que são coautora do refrão. No entanto, Sharon diz que não há fundamento nesse caso. “Quanto às estudantes paraibanas Marcella Quinho Ramalho, Amanda Borba Cavalcanti de Queiroga e Maria Eduarda Lucena dos Santos, que vieram recentemente a público para reivindicar suposta participação na autoria e divulgaram uma alegada disputa incoerente, esclarece-se que a mesma não é reconhecida pelos verdadeiros compositores e coautores da obra”, completa a nota.









***FRANCIS DE MELLO***

Um comentário:

  1. Será mesmo barrado? Acredito mais em um acordo entre todos!

    ResponderExcluir