Follow by Email

quarta-feira, 14 de março de 2012

"ASSUME O MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO PEPE VARGAS (PT-RS); NO LUGAR DE AFONSO FLORENCE (PT-BA)"

Afonso Florence é substituído por Pepe Vargas no Desenvolvimento Agrário.










Afonso Florence é substituído por Pepe Vargas no Desenvolvimento Agrário
Deputado tinha planos de se candidatar à prefeitura de Caxias do Sul, mas desistiu após pedido de Dilma (Foto: Marcelo Brandt. Arquivo Agência Câmara)





O Palácio do Planalto anunciou na sexta feira (9) a saída de Afonso Florence do Ministério do Desenvolvimento Agrário. Com o nome na lista de possíveis demitidos desde o segundo semestre do ano passado por um desempenho considerado fraco, Florence será substituído pelo deputado federal Pepe Vargas (PT-RS).
“Eu não poderia dizer não à presidenta e me furtar de ajudar ainda mais ao seu governo. Peço aos petistas de Caxias a compreensão e o apoio”, manifestou o novo ministro em seu perfil na rede social Twitter. Cotado para ser candidato do PT à prefeitura de Caxias do Sul, Vargas disse que chegou a insistir com a presidenta Dilma Rousseff sobre a manutenção de suas intenções, mas acabou convencido sobre a necessidade da ida para a Esplanada dos Ministérios. “É um enorme desafio e trabalharei muito para o desenvolvimento da agricultura familiar.”
Filiado ao PT desde 1981, o parlamentar de 53 anos já foi vice-líder da bancada do partido na Casa. Antes de ingressar no Congresso Nacional, foi vereador e deputado estadual por Caxias do Sul (RS) e prefeito da cidade de 1997 a 2000 e de 2001 a 2004. Na discussão em curso sobre as mudanças no Código Florestal, opõe-se à possibilidade de que os desmatamentos realizados por proprietários de terras sejam perdoados sem que se defina uma compensação pelos danos.
Alexandre Conceição, integrante da Coordenação Nacional do MST, manifestou à Agência Brasil a esperança de que a mudança acelere a reforma agrária. Nos cálculos do movimento, 22 mil famílias foram assentadas no ano passado, um dos piores resultados das duas últimas décadas. “Esperamos que possa fazer acelerar a reforma agrária. Independente do ministro A ou B sempre vamos colocar na pauta”, disse.
Em nota, a Presidência da República agradeceu o trabalho prestado por Florence, 12º ministro a deixar o governo. “Na pasta, conduziu com dedicação e eficiência ações que fortaleceram a agricultura familiar e contribuíram para a redução da pobreza no campo e para a promoção da inclusão social”, diz o texto, de dois parágrafos, emitido no começo da noite de ontem. “A presidenta deseja boa sorte ao deputado Pepe Vargas, certa de que ele exercerá as novas funções com o mesmo empenho e compromisso que têm caracterizado sua vida pública.”

Pepe Vargas quer acabar com 'pobreza extrema no meio rural'.



O deputado federal Pepe Vargas (PT-RS) assumiu com promessas nesta quarta-feira o Ministério do Desenvolvimento Agrário, deixado pelo colega Afonso Florence (PT-BA). "Vou dedicar todas as minhas energias para cumprir a missão determinada ao ministério de Desenvolvimento Agrário, ou seja, fortalecer a reforma agrária e buscar superar a pobreza extrema do meio rural", afirmou ele.
O novo ministro destacou que 70% dos alimentos consumidos pelos brasileiros são provenientes da agricultura familiar - alvo de políticas da sua pasta. "É por isso que queremos fixar no imaginário brasileiro que o Ministério do Desenvolvimento Agrário é o ministério do desenvolvimento econômico", disse. "Sonhamos com um Brasil rural plenamente desenvolvido constituído por enorme classe média rural."
Médico de formação, Pepe Vargas foi prefeito de Caxias do Sul, segunda maior cidade do Rio Grande do Sul, por duas vezes. Ele começou a carreira política em 1989 como vereador e atuou como deputado estadual entre 1995 e 1996, quando deixou a Assembleia Legislativa para assumir a prefeitura da cidade gaúcha.
Saída de Florence
Sob fortes aplausos, Afonso Florence parabenizou o companheiro e citou resultados de sua gestão. "Esse é um momento muito especial para mim, porque é uma oportunidade de encerrando esse um ano dois meses e 14 dias de trabalho, celebrar a posse desse companheiro, o deputado Pepe Vargas", disse.
"Dos 28 milhões de homens e mulheres que saíram da faixa da pobreza e da pobreza extrema, 4,8 milhões vieram da zona rural", citou Florence. Ele destacou os investimentos na área de reforma agrária durante sua gestão à frente da pasta. O orçamento total gasto pela pasta no ano passado foi de R$ 773 milhões - superior ao esperado, de R$ 530 milhões. A diferença foi solicitada pela presidente Dilma Rousseff.
Desde o ano passado, já era esperada a saída de Florence na chamada reforma ministerial. Segundo fontes, a presidente estaria insatisfeita com sua atuação no cargo. No último fim de semana, por meio de nota, a Secretaria de Comunicação da Presidência desmentiu os rumores e disse que Dilma apreciava seu trabalho no ministério, que ela considerou "uma importante colaboração".
Florence retorna ao seu mandato como deputado federal. Baiano, o ministro dá espaço a mais um político gaúcho na Esplanada dos Ministérios, que já é chamado em Brasília de "Gauchério" com agora sete ministros gaúchos (nascidos no Rio Grande do Sul ou vinculados à política daquele Estado).





***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário