Follow by Email

quarta-feira, 21 de março de 2012

"THOR FILHO DO EMPRESÁRIO BILIONÁRIO GARANTE QUE PRESTARÁ APOIO À FAMILIA DO CICLISTA QUE FOI ATROPELADO POR ELE; MESMO SENDO CONVICTO DE SUA INOCÊNCIA"

Thor: 'mesmo convicto da minha inocência, vou prestar apoio'.















Thor chegou à delegacia acompanhado por dois advogados e três seguranças, que o seguiam em outra caminhonete . Foto: Marcus Vinicius Pinto /Terra
Thor chegou à delegacia acompanhado por dois advogados e três seguranças, que o seguiam em outra caminhonete 
Foto: Marcus Vinicius Pinto /Terra



Ao deixar a sede da 61ª Delegacia de Polícia, em Xerém, Duque de Caxias (RJ), no início da tarde desta quarta-feira, o filho do empresário bilionário Eike Batista se disse convicto de sua inocência e garantiu amparo a família de Wanderson Pereira dos Santos - morto ao ser atropelado por Thor Batista, 20 anos, enquanto andava de bicicleta no km 101 da rodovia Washington Luís na noite de sábado.
"Lamento profundamente a perda do Wanderson, entendo a dor da família, e, mesmo convicto da minha inocência, vou prestar todo o apoio que eles necessitarem", afirmou Thor.
Acompanhado pelo advogado Celso Vilardi, o jovem chegou à delegacia por volta das 9h, uma hora antes do previsto, e entrou pela porta dos fundos. Ele estava em uma Toyota Hilux acompanhado por dois advogados, e foi seguido por outra caminhonete, de mesma marca, com três seguranças.
O defensor de Thor garantiu que o carro do acidente foi periciado por duas vezes, sendo ainda provável a uma terceira averiguação. Ele afirmou que o veículo está intocado e disponível para as investigações. Vilardi voltou a afirmar que o filho de Eike andava dentro do limite estabelecido para a via na noite do atropelamento e que isso já teria sido constatado pelas investigações.
Sobre as suspeitas de que o atropelamento poderia ter ocorrido enquanto Thor andava pelo acostamento, o advogado foi categórico e disse que não teria razão para o jovem fazer isso já que a pista estava livre. Vilardi garantiu que existem outras testemunhas que comprovariam a versão.
O chefe de investigação Humberto Souza revelou que um estudante de Medicina, que não teve a identidade revelada, prestou depoimento e disse ter passado pelo corpo de Wanderson após o atropelamento. Segundo seu relato, o carro de Thor estava a cerca de 100 m de distância.
"Você viu que matou um homem alia atrás?", disse o estudante de Medicina a Thor ao passar por ele. Como resposta, de acordo com a testemunha, Thor disse: "Ele atravessou na minha frente".
O advogado de defesa confirmou a ocorrência de uma ultrapassagem antes do atropelamento, e garantiu que ela não teve ligação com o acidente. "Numa estrada escura, a 110 km por hora, o acidente é inevitável quando alguém cruza na sua frente", disse ele, voltando a insinuar que a vítima cruzou a frente do veículo.
Sobre os 41 pontos registrados na carteira de habilitação de Thor, o advogado garantiu que o jovem nunca foi notificado pelos órgãos competentes sobre as infrações e revelou que a família pretende investigar se o condutor no momento das multas era realmente o jovem ou algum segurança. Ele também levantou a hipótese de serem pontuações provocadas por carros que já não são do jovem.







***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário