Follow by Email

terça-feira, 20 de março de 2012

"O GOVERNADOR DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN (PSDB) RETOMA OBRAS METROFERROVIÁRIO"



Governo anuncia retomada da expansão de linhas de trem em SP.


















O governador Geraldo Alckmin participou de evento na Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), na capital paulista. Foto: Hermano Freitas/Terra
O governador Geraldo Alckmin participou de evento na Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), na capital paulista
Foto: Hermano Freitas/Terra



O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou nesta terça-feira a retomada das obras de expansão da malha metroferroviária da região metropolitana da capital. Paralisada por ações judiciais, a construção das estações que faltam na Linha 4-Amarela do Metrô volta aos trabalhos no sábado, enquanto o monotrilho terá a licença ambiental liberada e poderá ter expedida a ordem de serviço.
"O primeiro trecho da Linha 17-Ouro, que leva do aeroporto de Congonhas à Marginal Pinheiros, deve ficar pronto até 2014", disse Alckmin, na abertura do Seminário de Gestão Pública na Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP). De acordo com o secretário de Transportes, Jurandir Fernandes, a Linha 4-Amarela, realizada em parceria com a iniciativa privada, tinha ações administrativas pendentes e uma concessionária espanhola que precisava de licença para atuar no País.
Desembargada na Justiça, deve ter todas as estações que faltam - Fradique Coutinho, Oscar Freire, Morumbi e Vila Sônia - entregues até 2014, podendo algumas estações ficarem prontas antes, de acordo com Fernandes. A previsão é de que tanto Congonhas quanto Cumbica estejam com suas ligações ferroviárias entregues para a Copa do Mundo.
Outra obra que teve sua retomada anunciada pelo governo paulista é a da Linha 5-Lilás, que ligará Adolfo Pinheiro à Chácara Klabin quando pronta. Em novembro, decisão liminar paralisou as obras e afastou o presidente do Metrô, Sérgio Avelleda. Fernandes disse que os problemas judiciais foram superados e as obras serão retomadas. "Serão cinco grandes obras metroferroviárias ao mesmo tempo", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário