Follow by Email

sexta-feira, 30 de março de 2012

"DENÚNCIAS NO GOVERNO; AGORA É A VEZ DA MINISTRA IDELI SALVATTI DAS RELAÇÕES INSTITUCIONAIS"



Ideli nega favorecimento a empresa que doou dinheiro para campanha.















A ministra negou qualquer ligação com a empresa que doou à campanha do PT . Foto: Edson Lopes Jr./Terra
A ministra negou qualquer ligação com a empresa que doou à campanha do PT 
Foto: Edson Lopes Jr./Terra


A ministra Ideli Salvatti, das Relações Institucionais, negou nesta sexta-feira qualquer ligação com a empresa Intech Boating, responsável por uma doação de R$ 150 mil à campanha do PT em Santa Catarina, reduto político da ministra. A empresa, comandada por José Antônio Galízio Neto, ex-militante do PT, é suspeita de ter sido favorecida por Ideli quando ela ainda era ministra da Pesca.
Reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo afirma que, após ser contratada para construir lanchas-patrulha de mais de R$ 1 milhão cada para o Ministério da Pesca, a Intech Boating foi procurada para doar R$ 150 mil ao comitê financeiro do PT de Santa Catarina. O comitê financeiro do PT catarinense, de acordo com a reportagem, bancou 81% dos custos da campanha a governador em 2010 e a candidata do partido era Ideli.
De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), as encomendas foram feitas entre 2009 e 2010, em licitações supostamente dirigidas. A denúncia também envolve o ex-ministro da pasta Altemir Gregolin, que teria encomendado mais cinco lanchas, quando 14 delas já estavam prontas e sem uso no estaleiro em Santa Catarina.
O empresário Galízio Neto afirmou ao jornal que ainda restam quatro encomendas e que, uma delas, seguiria ontem para a Marinha, destino definido no início deste ano, quando a auditoria do TCU processava as conclusões.
Ideli, que durante os cinco primeiros meses de governo foi ministra da Pesca, afirmou em nota que o contrato firmado entre a empresa Intech Boating e o Ministério da Pesca para a aquisição de lanchas, que está sob investigação do TCU, foi assinado em 2009, ano em que era senadora e não ministra da pasta.
A Secretaria de Relações Institucionais também afirma que a candidatura de Ideli Salvatti ao governo de Santa Catarina recebeu doações de R$ 3,5 milhões, mas esse dinheiro teria sido repassado ao comitê financeiro do PT catarinense. "É importante ressaltar que as contas da campanha foram aprovadas pelo Tribunal Superior Eleitoral", informa a nota.
Ideli, que participou na manhã de hoje de um seminário no Instituto Cidadania, em São Paulo, não quis falar com a imprensa sobre as denúncias. Veja na íntegra a nota divulgada pela Secretaria de Relações Institucionais:
A respeito de reportagem publicada no jornal O Estado de São Paulo, no dia de hoje, sob o título "Pesca contrata empresa e cobra doação ao PT" a assessoria de comunicação da SRI tem a informar:
1 - A doação no valor de R$ 150 mil registrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) feita pela empresa Intech Boating foi destinada ao Comitê Financeiro do Partido dos Trabalhadores (PT) em Santa Catarina e não a candidata Ideli Salvatti;
2 - A candidatura de Ideli Salvatti ao Governo de Santa Catarina conforme consta no site do TSE recebeu em doações R$ 3.572.376,65 e a maioria dos recursos foi repassada pelo Comitê Financeiro do Partido dos Trabalhadores (PT). É importante ressaltar que as contas da campanha foram aprovadas pelo TSE; 3 - A competência jurídica pela prestação de contas dos recursos arrecadados pelo Comitê Financeiro do Partido dos Trabalhadores durante o pleito de 2010 e apresentada ao TRE/SC e ao TSE é de responsabilidade do presidente estadual do PT;
4 - Não há qualquer ligação entre a ministra Ideli Salvatti e a empresa Intech Boating, pois a doação questionada pelo jornal O Estado de São Paulo, não foi feita para a candidatura de Ideli Salvatti ao Governo do Estado;
5 - É preciso esclarecer ainda, o contrato firmado entre a empresa Intech Boating e o Ministério da Pesca para a aquisição de lanchas, que está sob investigação do Tribunal de Contas da União (TCU), foi assinado em 2009, ano em que Ideli Salvatti era senadora da República e não ministra da pasta.
Assessoria de Comunicação da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República.










***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário