Follow by Email

sexta-feira, 16 de março de 2012

"GOVERNO E FIFA ESTÃO OTIMISTA QUANTO AO IMPASSE DA APROVAÇÃO DA LEI GERAL DA COPA 2014"




Por autoridade, líderes defendem venda de bebidas alcoólicas.











Marco Maia e Arlindo Chinaglia acreditam que a votação da Lei Geral posso finalmente ser votada na próxima semana. Foto: Agência Brasil
Marco Maia e Arlindo Chinaglia acreditam que a votação da Lei Geral posso finalmente ser votada na próxima semana
Foto: Agência Brasil


A inclusão ou não da venda de bebidas alcoólicas durante a Copa do Mundo na Lei Geral da Copa ainda causa confusão na Câmara dos Deputados. Líder do governo, Arlindo Chinaglia (PT-SP) afirmou que os outros deputados não devem levar em consideração a opinião pessoal e, sim, o que foi acordado anteriormente com a Fifa sobre a liberação no processo de escolha para o Brasil sediar o Mundial.
"É preciso defender aqui que foi assumido pelo nosso país...diz respeito a nossa imagem, a nossa autoridade", declarou Chinaglia, que acredita que não passa da próxima semana a votação à Lei Geral da Copa. "Em princípio eu acho que sim. Mas na próxima semana reunirei o colégio de líderes para chegarmos a um acordo de votar e aprovar a lei".
Opinião compartilhada pelo presidente da Câmara dos Deputados Marco Maia (PT-RS). O líder disse esperar que a votação finalmente aconteça na reunião da próxima semana, mas que aconteça em um ambiente de harmonia entre todos os deputados. "Queremos na semana que vem fazer com que a aprovação se de em um ambiente de cumprimento de acordo".
Assim como Chinaglia, Maia também espera que o acordado entre Brasil e Fifa seja cumprido com a aprovação da venda de bebidas alcoólicas na Lei Geral da Copa. "Temos a convicção de que todos os acordos e debates que garantiram a Copa do Mundo do Brasil precisam cumprir sua integralidade", acrescentou o presidente da Câmera dos Deputados.
Otimista após a reunião com a Presidente Dilma Rousseff, Joseph Blatter não demonstrou preocupação de que haverá acordo entre os deputados brasileiros para a Lei. "Nem é questão de otimismo e sim de confiança nos organizadores da Copa do Mundo e nos deputados".
Mesmo com a posição favorável dos líderes da Câmara, Aldo Rebelo preferiu se manter neutro. O ministro do Esporte afirmou que a aprovação da conturbada Lei Geral da Copa depende apenas da Câmara. "O Governo não tem receios (de a camara não aprovar). O Governo vai confiar na decisão da Câmara. Não tem nada garantido porque o texto precisa ser votado".
Os entreveros entre a Fifa e o País parecem terem ficado de lado após a conversa com Dilma. Blatter ressaltou a importância entre o bom relacionamento com o Governo para a realização com sucesso da Copa do Mundo. "Organização deve ficar em parceria harmoniosa entre governo e Fifa".
O atraso nas obras de estrutura e dos estádios que sediarão as partidas de Copa do Mundo também foram minimizados pelo mandatário da Fifa. Blatter lembrou dos problemas enfrentados com outros países organizadores, como a África do Sul, em 2010. "Sobre construção de estádios não estamos tão preocupados. Enfrentamos as mesmas situações em Copas anteriores".








***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário