Follow by Email

sábado, 14 de abril de 2012

"CPI; DILMA ROUSSEFF SE REUNIU COM LULA HOJE PARA PEDIR QUE ELE FIQUE LONGE DA CPI"


Dilma pede a Lula cautela com CPI do Cachoeira.















Lula encontra com Dilma Rousseff






A presidente Dilma Rousseff reuniu-se nesta sexta por duas horas e quarenta minutos na subsede da Presidência, na Avenida Paulista, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para pedir a ele que tenha cautela ao incentivar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira - que investigará laços de políticos e agentes privados com o contraventor Carlos Augusto Ramos, acusado de comandar uma rede de jogos ilegais. A presidente teme que as investigações respinguem em seu governo.
Ao lado do presidente do PT, Rui Falcão, Lula tem sido um dos principais incentivadores da CPI do Cachoeira. Eles entendem que com a CPI será possível provar que não houve o mensalão - maior escândalo do governo do PT, ocorrido em 2005, em que parlamentares da base aliada votavam a favor de projetos de interesse do Palácio do Planalto em troca de uma remuneração mensal, conforme o relatório da CPI dos Correios.
Embora não tenha se manifestado publicamente sobre a CPI, há informações de bastidores do governo de que Dilma acha que existe uma possibilidade forte de a CPI prejudicar sua administração. A visão é compartilhada por petistas mais comedidos, que temem a utilização da CPI como palco de vingança política.
Essa ideia foi reforçada depois da volta de Dilma dos Estados Unidos. Recados do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), do líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), e do senador Delcídio Amaral (PT-MS) que chegaram à presidente classificam a CPI como 'de alto potencial destrutivo'.
'O alcance dessa CPI é inimaginável. Só a empresa Delta Construções (que aparece nas gravações telefônicas feita pela Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, e recebeu R$ 4,13 bilhões do governo federal por obras do Programa de Aceleração do Crescimento - PAC) - está presente em quase todo o País, principalmente na construção e reforma de estradas', disse o senador Delcídio. 'Eu já fiz vários alertas sobre isso. Estão brincando com fogo', afirmou ainda o senador petista.
Delcídio foi o presidente da CPI dos Correios, que apurou o escândalo do mensalão, e sabe que, uma vez em funcionamento, o desdobramento das investigações é algo incontrolável.
A conversa entre Lula e Dilma teve início às 15h10 e terminou às 17h50. Desta vez, o ex-presidente é que foi se encontrar com Dilma, no gabinete de trabalho da presidente em São Paulo.
Para auxiliares da presidente, ela quis falar com Lula para demonstrar a preocupação com a CPI e com a agitação política que pode ocorrer no Senado, que ainda tem de votar projetos de interesse do governo. Entre eles, a flexibilização da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o que permitirá a mudança no indexador que corrige as dívidas dos Estados com a União.
Conforme bastidores do Planalto, a presidente tem recebido as informações sobre a CPI do Cachoeira sem mudar a expressão do rosto. Não faz comentários, apenas ouve. Os que a conhecem bem já conseguem interpretar a reação. Sempre que se mostra impassível, Dilma está dizendo que não gostou do que ouviu.
Entre os auxiliares mais próximos, Dilma deixou a impressão de que está aborrecida com a forma como o PT está se comportando em relação à CPI.
Primeiro, não concorda que as investigações possam servir para que o partido tente se vingar de uma parte dos meios de comunicação; segundo, acha que a agenda do governo tem caminhos próprios que envolvem acordos com a oposição e não é a mesma do PT; terceiro, não quer paralisar o Congresso.
'A CPI não tem nenhum objetivo de vingança, de acerto de contas. É um instrumento do Congresso para apurar circunstâncias que envolvam agentes políticos, agentes públicos ou privados', disse Rui Falcão nesta sexta, em Belo Horizonte. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao meu mode de entendimento, a Presidente Dilma está realmente com o rabo mais que preso com tudo isso que está acontecendo, por esse motivo ela está toda cautelosa sobre a tal CPI, pois deve ter recebido verba de campanha de Carlinhos Cachoeira, entre outras sujeirada todos que poucos ou quase ninguém sabe. Daí a preocupação dela em pedir à seu antecessor para te cautela (esquecer), essa CPI.
O governo do PT já tem provado por mais de dezenas de vezes que seu trabalho é realmente repleto de jogo sujo e na calada com ajustes de conta à quem não se alia a eles e com propinas aos aliados tanto de direita, esquerda ou centro. Contanto que eles possam dar andamento em seu desgoverno e desordem aos bens públicos, e direcioná-los aos seus interesses particulares e contas em bancos de paraíso fiscal. Para tanto, basta ver o que aconteceu recentemente com o filho de Lula, que acabou por se tornar dono de uma das maiores empresas de telecomunicação do país a OI. Será que este tinha capacidade financeira para tanto, ou teve a mão santa do pai, mesmo faltando um dos dedos em uma das mãos deste santo pai?
É preciso lembrar da luta que teve Lula e trabalho duro em prol da campanha de Dilma, pois caso ela viesse perder ele (LULA) poderia estar em papos de aranhas atualmente. Vemos agora os planos de trabalho da presidente Dilma em relação à suas promessas de campanha, até o momento ela não fez nem meio por cento do que prometeu. Sem contar que ela nem sabe quantificar os descamisados que estão a espera de uma casa das 2 milhões que ela prometeu construir e entregar em sem primeiro ano. existem sim milhares de casas prontas, mas, não foram entregues a quem de dever, e sim invadidas por grupos do MST entre outros grupos. Não fez nada até a presente data em favor dos desabrigados por chuvas e secas e nem tem um programa apropriado em favor destes.
Só o que o (PT) sabia fazer muito bem era atirar pedras quando ainda era oposição, mas hoje não sabe lidar com a situação, pois acreditavam que seriam capazes de fazerem proezas alem do enriquecimento ilícita de sua cúpula!






***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário