Follow by Email

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

QUAL A DIFERENÇA DE RASGAR O CORAÇÃO OU AS VESTES!


“Ainda assim, agora mesmo diz o Senhor: Convertei-vos a Mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque Ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-Se, e grande em benignidade, e Se arrepende do mal. ... Então o Senhor Se mostrou zeloso da Sua terra, e compadeceu-Se do Seu povo. E o Senhor, respondendo, disse ao Seu povo: Eis que vos envio o trigo, e o mosto, e o azeite, e deles sereis fartos, e vos não entregarei mais ao opróbrio entre os gentios.”Joel 2.12-13,18-19


Muitos de nós choramos, jejuamos, mas não nos convertemos ainda de todo o nosso coração ao Senhor. Quando essa conversão verdadeiramente ocorre em nossas vidas, há uma mudança intensa, que começa pela entrada de Cristo em nossas vidas e permanecerá acontecendo até a nossa entrada no Céu de Cristo.É um favor que o Senhor nos presta, de nos amar como nós somos e nos ajudar incessantemente a deixarmos nosso estado pecador e imundo. Com Seu amor imensurável, Ele converte os nossos corações verdadeiramente e realiza grandes transformações em nossas almas, as quais se refletem por fora, em nosso corpo e pelas nossas obras e comportamento.


Nosso Pai de amor sabe que precisamos disso. Ele sabe que sem Ele não podemos viver bem, nem aqui e ainda menos na eternidade. Ele sabe o quanto é importante que vivamos o novo nascimento [João 3.3,7]. E Ele continua derramando Sua Graça sobre nós – sobre todos nós, que estamos vivos  para que aproveitemos a oportunidade de receber a Sua salvação e viver o gozo da Sua maravilhosa presença ainda nesta vida e, no porvir, eternamente inseparáveis dEle.


A Graça já começou. A glória de ser um filho de Deus também pode começar agora, se você ainda não é um. Aliás, não é interessante a ordem de Deus para as nossas vidas? Primeiro, a Graça dando oportunidade de nos reconciliar e recomeçar. Depois, a Graça trazendo a glória, sempre completa e abundante da parte do Senhor.



NOSSA MISSÃO MAIOR NA VIDA...



é dar ao Senhor o devido louvor. Ele é poderoso, bom e atende todos. Compete aos filhos de Deus provarem Seu amor e, então, em verdade, levarem às demais pessoas a informação de quem Ele é e do que pode fazer pelos que sofrem. Não há outro que nos possa livrar das forças malignas. Sem Jesus, as pessoas estão perdidas e à disposição dos espíritos malignos, cuja missão é roubar, matar e destruir (João 10.10).O salmista convidou quem quisesse a engrandecer o Senhor com ele. Que bom seria se todos os servos do Altíssimo fizessem exatamente o que Jesus mandou; desse modo, o Pai seria engrandecido. Quem sabe viver da fé deve repartir com todos o que tem aprendido. O que importa é pregar o Evangelho, e não a nossa denominação ou o nosso “eu”.O fruto do nosso trabalho no Evangelho deve servir para exaltar o Nome do Senhor. Para isso, devemos aprender o que é usá-lo, como e quando fazê-lo, certos de que isso é o que o Pai espera de nós. Não precisamos de teorias científicas nem de “milagreiros” para que as nossas igrejas cresçam. Necessário é realizar a obra com fidelidade, a fim de que o Nome do Senhor seja admirado e louvado.Não faça coisa alguma às escondidas nem seja egoísta, mas trabalhe com os que já são salvos, pois tal coisa é agradável ao Altíssimo. Ele deseja que os irmãos vivam em união, mas isso não quer dizer que devemos estar todos os dias na casa de algum deles (Provérbios 25.17), nem os pastores devem trocar de igreja constantemente. É preciso que oremos uns pelos outros, jamais coloquemos dúvidas no coração das pessoas nem propaguemos notícias falsas a respeito de algum ministério.Não deve haver competição na obra de Deus (1 Coríntios 3.4). Precisamos ser solidários uns com os outros. Se alguém recebeu uma direção de Deus e tem obtido sucesso em sua empreitada, os outros devem orar por ele e até ajudá-lo com envio de recursos; se necessário, até com testemunho público.Quem é de Deus e tem responsabilidade com o trabalho do Senhor.


Escrito por:

***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário