Follow by Email

domingo, 23 de setembro de 2012

"DE QUATRO EM QUATRO ANOS RECEBEMOS VISITAS INESPERADAS, MAIORIA DESSAS VISITAS, SÃO DE PESSOAS QUE NUNCA VEMOS NO DIA A DIA"

Há cada quatro anos temos visitas de candidatos à prefeitos e vereadores de nossa cidade, falando de seus projetos e para nos pedir votos.













Quero aqui comentar algo que muitas vezes gostaríamos que não acontecesse, ou ao menos fosse diferente.

A cada quatro anos nós recebemos visitas inesperadas em nossas casa, e grande maioria das visitas são de pessoas que conhecemos, mas nunca tivemos sua visito em diferentes ocasiões, e outra já nossos velhos conhecidos, seja por ser político velhos ou por sempre estar apoiando um destes.
Pois bem, sabemos que há cada quatro anos é eleição municipal, e dado a esta circunstância estamos propensos a visitas de ilustres pessoas, as quais vem nos falar de suas intenções para com nosso bairro, vila e cidade. Então falam que precisam de nossa ajuda para que eles possam fazer o de melhor para mudar algo que não esteja bom aos olhos destes, e muitas vezes a nós também não está bom. Porém essa ladainha já conhecemos desde quando nos tornamos pessoas responsáveis por algo de grande valor que é o nosso "VOTO". 
Mas, o que mais nos tem intrigado é a tamanha audácia dos tais, tendo em vista de muitos destes não nos conhecer, nem saber quem somos, ou se sabem tem nos ignorado até que não chegue esta ocasião. Sabemos que para uma pessoa se tornar candidato a algum cargo legislativo, ele precisa ser filiado em um desses partidos existentes em nossa cidade, estado e no país. Sabemos também que tais pessoas passam por um movimento chamado de convenção partidária, porém a tal convenção é aberta a votos apenas dos que são filiados no tal partido, daí estes escolhem então o candidato a tal cargo, contudo, aprovam lá quantos candidatos seja preciso para concorrer aos cargos de vereadores, vice-prefeitos e prefeitos, lhes dão os chamados Nºs de legenda, daí por diante começa aquela correria em busca do nosso "VOTO". Vemos que cada um tem lá o seu projeto de trabalho caso seja eleito, uns são regulares, outros bons, outros maravilhosos, e outros ainda estupendo. O que mais é interessante é que maioria dos candidatos já estão na legislatura há muitos mandatos e até a presente data nada conseguiram fazer, mas, mesmo assim vem sendo eleitos com o "VOTO" do povo, já visitaram-nos há quatro anos atrás e nos fizeram as mesmas promessas e votamos neles. Com certeza estes já sabem que temos a memória curta e inerte a ponto de chegar até nosso lar e nos perguntar, "FULANO, VOCÊ SE LEMBRA DE MINHA PESSOA?" se respondermos que lembramos-nos, ele inventa lá uma história estapafúrdia sobre as promessas que vem nos apresentar novamente e então nos pede que confiemos nele mais quatro anos, para que ele possa dar cabo no que começou.
Agora nós somos sabedor de que existe aí uma lei chamada de Ficha Limpa que: 

*traz em seu bojo algo no mínimo curioso, senão vejamos "não se ap
lica inelegibilidade (..) aos crimes culposos e àqueles definidos em lei como de menor potencial ofensivo, nem aos crimes de ação penal privada." Isso chama bastante atenção. Se o candidato "A" está envolvido com drogas (usuário), dano, ameaça, lesão corporal leve, direção perigosa, dentre outros, a lei simplesmente fecha os olhos? Daí, vos indago:Cadê a moralidade pública. É certo que os entes públicos não se misturam num primeiro momento, posto que a figura do candidato é pública e suas ações também e, noutro o candidato como cidadão tem um vida privada totalmente livre de incidências na vida pública. Todavia, você votaria em alguém que sai por aí dirigindo bêbado, perturbando o sossego alheio, que ameaça vizinhos, mulheres, crianças, ou ainda que esteja envolvido com suposta posse de entorpecentes para consumo pessoal. Você votaria em alguém assim? Logo, chegamos ao ponto mor da discussão em que, apesar de figuras distintas do ponto de vista técnico, as ações do candidato (pessoa física) refletem em muito no seu caráter como administrador. Sendo ele o primeiro a descumprir a lei, que segurança terão os demais cidadãos que este indivíduo que não respeita as leis básicas e pequenas, por assim dizer, respeitará as leis maiores ou não se furtará nos procedimentos administrativos que participar? Portanto, Senhoras e Senhores, o site do Tribunal de Justiça de São Paulo está a disposição de todo cidadão para buscar mais sobre processos ou procedimentos criminais em andamento em nome de nossos futuros representantes. Não sabe o nome completo? Acesse o portal do Superior Tribunal Eleitoral no http://divulgacand2012.tse.jus.br/ - depois é só acessar o linkhttp://esaj.tjsp.jus.br/cpo/pg/open.do - e buscar por nome do seu candidato. Vote consciente, com responsabilidade e pela tão clamada MORALIDADE que se busca constantemente!*

*texto transcrito de Maicon de Paula. Bacharel em direito, bacharel em teologia e candidato à vereador por Pereira Barreto-SP. 






Oras meu amado leitor, sei que nesse momento você deve estar pensando como então resolver tal situação? Esta é uma pergunta que nunca nos quer calar, sempre ela nos vem em mente, porém existe sim uma resposta, e está consiste em nós os eleitores exigirmos que nossos votos não seja mais uma obrigação, mas que passe a ser livres. Só assim teremos governantes imbuídos de reais intenções administrativos. Sabemos que já se existem diversos projetos de leis com esse 
conteúdo, porém sempre dão um jeitinho bem brasileiro para não ser aprovado. Contudo temos como mudar isso, fazermos um abaixo assinado e conseguirmos as assinaturas devidas para que tal pedido se torne em lei de imediato, assim como foi feito com a tal lei da ficha limpa, digo, quase limpa, veja acima o porque do "quase". Amados,é certo que estamos vivendo em uma democracia, oxalá tivéssemos a certeza de que realmente é tudo democrático.
Estamos vivendo a maior "CPMI",  a chamada de "MENSALÃO", a maior roubalheira já instalado no meio político brasileiro que se tem notícia. O mais interessante é que estão julgando muitos, mas, nem metade dos envolvidos nesta sujeirada toda, muito menos o chefe maior, "LULA". O pior de tudo é que agora ele já conseguiu juntar grande aliados para tentar intimidar o "STJ", e assim virar o jogo em seu favor, tem até pronunciado ser candidato à presidente já em 2014. Sem levar em consideração que a presidenta Dilma Rousseff tem o direito a releição, o que vemos aí um possível racha dentro do "PT", contudo nesse possível racha, Lula sai ganhando, porém corre o risco de perder-la no partido, ainda podendo perder a eleição para Dilma, caso ela deixe o partido a tempo de transferir para outro, isso se ela não for um mero robô do ex-presidente.
Diante de tudo isso, precisaríamos nos mobilizarmos para que essa história de "VOTO" obrigatório venha a ser voto libre. Assim os candidatos teriam que realmente fazer algo para poder conquistar nossa confiança e conseqüentemente fazer-nos sair de nossas casas para votar em alguém menos hipócrita e mais coeso com a realidade de nosso bairro, cidade, estado e país.
Como não estou muito habituado a certos implementos da net, gostaria que alguém dos leitores com mais capacidade eletrônico para que se caso aceitar ai minha ideia, que criemos então a tal lista corrida, para o abaixo assinado e passemos a recolher as assinatura via internet, e fazer assim valer nossa vontade se tornar em lei. 

Espero que os que queiram entrar nessa luta contra o "VOTO" obrigatório nos ajudem a criar dispositivos com idéias, ou até mesmo com o próprio abaixo assinado para que possamos fazer validar nosso direito de cidadão.













***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário