Follow by Email

terça-feira, 28 de maio de 2013

"MOMENTOS DE UMA DESPEDIDA"




No momento de uma despedida sempre nos é cruciante. 

MOMENTO DE UMA DESPEDIDA.
Por; Mirian Souza.







Se por um instante Deus esquecesse de que somos uma marionete de 
pano e nospresenteasse com mais um pouco de vida ao vosso lado, possivelmente não diríamostudo o que pensamos, mas definitivamente pensaríamos em tudo o que dissemos.Por tanto, pensando no que dissemos, fizemos e sentimos, percebemos que osmomentos de história que realizamos juntos foram mais grandiosos do que pequenos. Trabalhamos, mas também rimos muito, e podemos dizer que se Deus nos concedessemais um pouco de vida ao vosso lado, morreríamos de tanto rir.Neste momento palavras perdem o sentido diante das lágrimas contidas na saudadesque irei sentir, mas sorriso é o que vos demonstrarei neste instante por ser o motivodeste até logo, a realização de mais uma vitória nas nossas vida.Sempre há um amanhã e a vida nos dá sempre mais uma oportunidade para fazermosas coisas bem, e temos que aproveitar cada oportunidade, por isso sei que tenho que ir,mas ficarei torcendo pelo vosso sucesso hoje e sempre. Que façam mais históriasmaravilhosas, mágicas e intensas como foi a nossa.Brevemente será a última vez que verei as pessoas com quem convivi e trabalhei,
Queninguém fique triste perante uma despedida. Uma despedida é, sempre, necessária para nosvoltarmos a encontrar... e um reencontro, depois de um momento ou depois de toda uma vida, éalgo inevitável, se formos amigos de verdade...Cada vez que nos despedimos de alguém que nos é querido, faz-se noite no nosso coração esempre que um reencontro acontece, de novo se faz dia; o Sol volta a brilhar como se essa pessoafosse imprescindível para que haja diferença entre o dia e a noite...É na agonia de uma despedida, quando forçosamente esse momento acontece, é nesse instanteque percebemos a profundidade dos nossos sentimentos, o valor de uma amizade...Se fossemos capazes de saber quando e onde uma despedida deixa de ser uma ausência e o vaziodeixado pela partida é preenchido pela presença daquele que partiu, a despedida seria menosdolorosa... assimilaríamos a emoção da despedida, não como um fim mas sim, como o princípio dodesejado reencontro...Muitas pessoas já passaram pela minha vida e na minha vida... umas cruzaram-se comigo e nuncamais soube delas, ou porque a vida não nos permitiu estreitar laços ou porque simplesmente poucose manifestou em comum para que de novo nos cruzássemos... outras há que (poucas, devoacrescentar), se o destino existe e partindo do princípio que cada um de nós tem o seu traçado, quiso dito que cruzassem a minha vida e na minha vida ficassem... Essas, são aquelas que muito maisque meros seres humanos com quem tive o privilégio de partilhar momentos, sentimentos, sorrisos elágrimas... são aquelas que entraram no meu coração e aí permanecerão... são elas, os meusamigos...Não me despeço dos meus amigos porque na realidade, ainda que na sua ausência física, elesestarão, eternamente, comigo... As recordações constroem um caminho que chega até ao meucoração e permitem-me que os sinta, aos meus amigos, sempre, muito perto de mim, mesmo quena realidade estejamos distantes... Nunca deixo que as pessoas que me são queridas partam...levo-as comigo onde quer que vá, no meu pensamento.

Por Mirian Souza, em sua partida da Europa/Portugal Rm regresso para o Brasil.

Uma despedida nos é sempre algo que requer muita força de vontade em conhecer algo novo, por este motivo é que muitas são as vezes que somos forçados pela lei de sobrevivência. A procura pelo melhor nos obriga a deixarmos muita coisa boa que no momento não está sendo tão bom assim, contudo, sentimo-nos como que forçados a renunciar o que levamos tempo para conquistar, mas que no momento não está sendo tão interessante como no princípio. Daí a necessidade em se fazer uma despedida que muitas foram as vezes que em que nos pegamos a pensar sobre isso. Porém, no entusiasmo de melhorias para um futuro próximo nos fizemos de esquecidos que um dia teríamos de enfrentar tal momento. 
No ano de 2003, esta despedida foi muito mais penosa que a que está sendo agora, claro que o amor pelo lugar, pessoas, amigos, trabalho, vida afetiva, dentre outras coisas a faz deixa esta maravilhosa crônica. 
O que me resta neste momento é registrar suas palavras neste humilde blog, e lhe desejar que seu regresso seja oportuno para uma nova etapa de vida aqui em seu país mais próximo aos seus.






***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário