Follow by Email

sexta-feira, 24 de maio de 2013

MEU ETERNO COMPANHEIRO


MEU ETERNO COMPANHEIRO

Com; Daniel César Melo.








Eu convivo diariamente com milhares de pessoas. Pode parecer exagero, mas não é. São milhares mesmo. Três zeros. Do momento em que acordo até o momento em que recosto minha cabeça sobre o travesseiro, a quantidade absurda de tipos que passam pela minha vida é inimaginável. Daria um livro. E o verbo é exatamente este: passam. Praticamente ninguém fica, até porque não faço a menor questão. Não tenho paciência para relacionamentos, nunca tive e nunca vou ter. Exceção ao meu eterno companheiro que, aliás, comemora seu dia justamente hoje.

No meu cotidiano muita gente transita. Antes de sair do prédio em que moro num pequeno apartamento que cabe somente eu, minhas tralhas, meus questionamentos sobre a existência humana e, claro, meu companheiro, já começo o ritual de pequenas “trombadas”. Bom dia a um ou outro morador, já no elevador, quando ele não está quebrado, mas há encontros na escadaria também. Depois, não pode faltar o bom dia ao porteiro/zelador/segurança, pois é o que a educação ensina. Quase sempre é apenas isso: duas palavras. Pois estou concentrado demais com meu companheiro para querer falar com alguém.











***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário