Follow by Email

sábado, 22 de junho de 2013

"MANIFESTAÇÕES VERSOS POLÍTICAS"

As manifestações contra o aumento das passagens deflagram um interesse público coletivo da população brasileira!



Depois de diversos aumentos seguidos nos preços das passagens coletivos a população/brasileiros decidiram dizer não às empresas, governadores e políticos no geral que são os responsáveis por estes aumentos abusivos.
No dia 8 de Maio deste ano em Goiânia houve uma manifestação na praça cívica contra um aumento que estava sendo estudado e preparado para acontecer, quando a passagem custava R$ 2,70 (dois reais e setenta centavos), as empresas planejavam passar para os  R$ 3,00 (três reais), coisa que nesta data já começou a causar diversos transtornos ao meio coletivo das empresas responsáveis pelo transporte coletivo da capital goiana.

R$2,70 já é roubo!

Esse ano as empresas do transporte e seus parceiros “públicos” anunciaram outro aumento da passagem de ônibus. A ideia é que a tarifa aumente para R$3,00! Esse aumento, como todos os aumentos que tivemos nos últimos anos, não se justifica para os usuários do transporte coletivo. Os atrasos e os ônibus superlotados continuam! É mais um aumento para saciar a sede de lucros das grandes empresas que compõem a Rede Metropolitana de Transporte Coletivo.
Em 2007, a passagem de ônibus era R$1,80. Em 2012 já chegou a R$2,70. É um aumento de 50% em apenas 5 anos! Mesmo a inflação aumentou apenas 35% de 2007 pra cá… será que houveram tantos custos extraordinários que justifiquem?
O usuário não é bobo: quais são os custos?
Ninguém sabe o que realmente acontece no transporte público em Goiânia. Quais são os custos das empresas? Quantos ônibus realmente estão circulando? Quanto lucro é gerado com esse serviço de péssima qualidade? Como se justificam os aumentos da passagem na realidade do transporte aqui em Goiânia? Por que esses dados não são publicados e ficam só entre os empresários e os cargos de confiança de políticos com campanhas financiadas pelas próprias empresas do transporte? Para nós, não basta inventar uma fórmula e um ‘compromisso’ entre empresas e políticos. Exigimos a publicação das planilhas de custos e lucros das empresas do transporte público!
Quem decide?
Na Câmara Deliberativa de Transporte Coletivo (CDTC) em que se decidem aumentos da passagem, criação e alteração de linhas de ônibus, não há um representante sequer dos usuários e trabalhadores do transporte coletivo! Os aumentos sempre são aprovados por todos os presentes, é só as empresas darem a ordem. Os aumentos anuais, nunca justificados plenamente, são uma das expressões do grande poder que as empresas do transporte exercem diariamente sobre a população usuária do transporte em Goiânia. As linhas são decididas de acordo com as conveniências políticas e necessidades de lucro das empresas. Nos terminais e ônibus as empresas circulam seguranças armados que impõem as regras particulares das empresas nos espaços públicos. Continuaremos aceitando isso? Que democracia é essa em que um punhado de empresários manda e mais de um milhão de usuários e milhares de trabalhadores do transporte só obedecem?
Transporte “público”?
Em Goiânia não há transporte público.  O que há é um serviço público que as empresas exploram para o seu lucro, um serviço essencial para conseguir viver na cidade e acessar outros serviços básicos como saúde, educação e lazeres. Não temos sequer um passe livre estudantil para conseguir chegar às escolas e universidades para estudar. Com essa tarifa abusiva, as nossas viagens e os nossos direitos ficam ainda mais limitados pela necessidade de lucro das empresas.
A saída é a luta e a organização!
Nós da Frente Contra o Aumento chamamos a todos os usuários para se organizarem e lutarem contra mais esse aumento abusivo da tarifa!  Manifestações, bloqueios de rua, paralisações de terminal, pular catracas, panfletagens e mais todas as ações necessárias que demonstrem a força, a conscientização e a luta dos usuários!
A frente é um movimento autônomo, apartidário e aberto que busca juntar os usuários do transporte contra o aumento da passagem. Todos os grupos e indivíduos que quiserem agir contra o aumento estão convidados a participar! Nossas reuniões são públicas e costumam ser anunciadas nas redes sociais anteriormente.

Diante dessa decisão da chamada "FRENTE CONTRA O AUMENTO", A coisa foi tomando rumo interessante, onde foi despertados os brasileiros mais atenciosos com a coisa pública de modo que foi crescendo a dimensão do interesse de uma população sofrida com tamanhos descasos e ganância dos empresários por mais lucratividade a ponto de super onerar os usuários  deste transporte, chegando a prejudicar os estudantes de um modo geral, não só com os altos valores, mas, também com o descasos da manutenção dos veículos/ônibus bem como os atrasos contínuos e até falta deste para certas linhas e horários, fazendo assim com que estes ficassem revoltados e se obrigando a dar um basta em tudo isso.
Sinto-me na obrigação de dizer que todos os usuários de transportes coletivos são os mais prejudicados com todos esses descasos e aumentos abusivos. No caso dos aumentos ultrapassaram a inflação em muitos percentuais sem uma causa justa, e até sem mérito algum por parte das prestadoras do serviço. 
O que mais deixou os usuários revoltados foram as quebradeiras de ônibus causando assim paralisação em horários de pico de algumas linhas, com isso deixou-os enfurecidos a ponto de interditarem terminais estratégicos, ruas e linhas como já mencionado acima, com tudo isso houve os mais exaltados que passaram da medida causando quebra quebra até ateando fogo em ônibus e veículos nas ruas, bem como destruindo comércios dentre outros bens privados e públicos, fazendo assim por a imprensa contra o movimento. Porém é preciso esclarecer que os episódios de vandalismo nada tem a ver com o movimento, são pessoas mau intencionados que gostam de se aproveitarem  de momentos como estes para deixarem suas marcas sem assinaturas, tanto, que as tais em grande maioria costumam saírem as ruas usando máscaras para não se deixarem conhecer causando assim grande prejuízo, se se importarem de onde sará o dinheiro para a reposição dos bens destruídos. Bom seria que os verdadeiros manifestantes com intenção sadia e ordeiros os expulsassem de seus meios. Contudo, sabemos que se assim fizerem poderá causar uma guerrilha entre eles, e daí a coisa ficaria sem controle. Registro aqui minha admiração á estes que estão com intenção pura e sadia.
Muito bem, Estamos vivendo uma verdadeira revolução contra os abusos dos políticos corruptos, porém vejo que os manifestantes estão meio que perdidos quanto ao que querem na verdade, haja visto não terem um protocolo de manifesto perante de suas reivindicações, tanto que no pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff  vimos-a sem uma meta específica, tentando assim entender e acertar os pontos de reivindicação dos brasileiros/manifestantes.
Oras, se foi derrubado os aumentos por meio seus pedidos, que saiam as ruas com outra pauta reivindicativa, como exemplo, "PRISÃO DOS CORRUPTOS CONDENADOS" dentre outras coisas. Os malacos sabem, digo, achavam que sabia que o brasileiro tem/tinha a mente curta, por este motivo acreditam estarem na política por mais tempo. Mas, diante destes acontecimentos e manifestações começaram entender que pra tudo tem um final, e esperamos que o final dos pilantras seja já em 2014. Precisamos nos manifestar nas urnas e mostrar que somos mansos como pensam, mas sabemos ser bravos e decididos quando encurralados, e é exatamente neste momento dos segundo em que estaremos na urna para expressar nossa cidadania que precisamos assinar com voto de ouro dando lugar aos verdadeiro honestos da história como o Ministro Joaquim Barbosa, queira Deus e ele, possa ser uma opção de voto em outubro de 2014.






***FRANCIS DE MELLO***




Nenhum comentário:

Postar um comentário