Follow by Email

terça-feira, 28 de agosto de 2012

"O FILME 'A TENTAÇÃO' É VISTO COMO UMA AFRONTA PELOS RELIGIOSOS, AFIRMA O DIRETOR DO FILME"


Diretor do polêmico filme “A Tentação” afirma que “lamentavelmente a religião separa as pessoas mais do que as une”.










Diretor do polêmico filme “A Tentação” afirma que “lamentavelmente a religião separa as pessoas mais do que as une”
O diretor Matthew Chapman, que recentemente lançou o filme “A Tentação”, concedeu entrevista e falou sobre sua proximidade com o autor da teoria da evolução, Charles Darwin, de quem é tataraneto e sobre suas impressões a respeito da religião.
Segundo Chapman, que além de diretor é pesquisador e escritor, “a religião separa as pessoas mais do que as une”.
O filme mostra a história de um ateu que se envolve com a esposa de um religioso extremista, os conflitos causados entre todos os personagens e suas decisões a partir do ponto de vista que cada um tem sobre a religião.
Na entrevista concedida ao G1, Chapman falou sobre a abordagem que deu ao tema religião no filme “A tentação”, e ressaltou seu espanto com a crença no criacionismo em países como os Estados Unidos.
-Eu acho que, lamentavelmente, religião separa as pessoas – mais do que as une. Quer dizer, se você olhar para os judeus e para os árabes, eles comem a mesma comida, eles vivem na mesma terra, eles dividem em grande parte os mesmos mares, eles são mães e pais, têm filhos, ou seja, têm muitas coisas em comum. A única coisa a dividi-los é disputa por território e religião – observou.
Chapman declarou ainda que seu envolvimento com a ciência não tem ligação com sua origem: “Não me interessava nem pelo Darwin. Porque na Inglaterra, na Europa como um todo, realmente ninguém realmente questiona a evolução. Foi só quando vim para os Estados Unidos que vi pessoas dizendo que a Terra tinha 10 mil anos de idade e que Deus criou Adão e Eva, todos os animais foram colocados dentro da arca – isso é inacreditável num país sofisticado assim”.
O diretor, porém, enfatiza sua preocupação em expressar o humanismo no meio do debate entre religião e ciência: “No meio dessa batalha filosófica, há uma verdadeira dor emocional para todo mundo. É interessante, porque algumas pessoas, ao perder alguém próximo, pensam que não pode existir um Deus, já que, se Ele existisse, não faria isso [tiraria uma vida]. Outras pessoas dirão: ‘Oh, meu Deus, eu perdi meu filho (ou meu marido ou minha esposa), eu preciso ter Deus ao meu lado, para me ajudar a superar isso’. Mas, no meio de tudo, há sempre a dor do ser humano”, pontua.
Confira abaixo o trailer do filme “A Tentação”, em cartaz no Brasil desde a última sexta-feira, 17/08:


Acredito verdadeiramente que no mundo real existe sim pessoas de credos diferentes tenham envolvimentos entre si não só nas exposições feitas pelo diretor Matthew Chapman, mas, como possivelmente o filme venha pontuar no sentido sexual. Ora, somos testemunhas de que grandes nomes do mundo evangélico tenham caídos na tentação do envolvimento sexual extra-conjugal. E com certeza, existem tantos outros ainda que esteja envolvidos assim. Não consigo entender o porque dessa grande admiração/condenação do lado religioso contra o filme A Tentação, levando-se em conta que não esteja apontando algo inédito no mundo cristão, e sim algo que todos os humanos com acesso à informação em tempo real  a que temos direito. Embora muitos vejam o filme como uma afronta ou difamação dos envolvidos como afirma o diretor. Porém o correto seria que fossemos razoáveis conosco mesmos, tendo em vista do já mencionado acima!






***FRANCIS DE MELLO***

Nenhum comentário:

Postar um comentário